#10 cientistas mais influentes de 2021

Publicada desde 1869, a revista científica britânica Nature está entre as mais prestigiadas da comunidade científica global. Todos os anos, seus editores selecionam as dez pessoas que mais contribuíram com a ciência no período, ou seja, os 10 cientistas mais influentes do mundo. Em 2021, a lista inclui o pesquisador brasileiro Tulio de Oliveira. Ele foi quem liderou a equipe que descobriu a variante ômicron, do novo coronavírus. “Ao lado de Oliveira, a revista traz nomes responsáveis por avanços científicos relevantes envolvendo inteligência artificial, direitos indígenas, mudanças climáticas e análise de novos medicamentos”, enumera Arie Halpern, especialista em tecnologias disruptivas.

Os 10 cientistas selecionados pela Nature

  1. Friederike Otto – Climatologista alemãe diretora associada do Instituto de Mudança Ambiental da Universidade de Oxford, em Londres, que ajudou a criar o grupo World Weather Attribution (WWA), com o objetivo de investigar o impacto das mudanças climáticas na frequência de eventos extremos de calor, frio, chuvas, seca e incêndios florestais.
  2. Guillaume Cabanac – Cientista da computação da Universidade de Toulouse, na França, especializado na análise de artigos e estudos científicos para identificar expressões que não fazem sentido. Ele criou o Problemmatic Paper Screener, um site para identificar e sinalizar manuscritos com conteúdo questionável.
  3. Janet Woodcock – Médica norte-americanaque lidera o FDA (Food and Drug Administration), a agência que regula o setor de saúde nos Estados Unidos, responsável por garantir que os medicamentos sejam seguros e eficazes antes de serem aprovados para uso na população.
  4. John Jumper – Pesquisador que usa inteligência artificial para transformar a biologia. Ele e sua equipe se dedicam ao projeto AlphaFold, que usa inteligência artificial (IA) para prever estruturas de proteínas com precisão impressionante.
  5. Meaghan Kall – Epidemiologista britânica quepassou a usar o Twitter para explicar dados e estudos relacionados ao coronavírus, tornando assim a informação mais compreensível para aqueles que não fazem parte ou não estão acostumados com a literatura acadêmica.
  6. Timnit Gebru – Cientista de computação que trabalha com ética aplicada à inteligência artificial, especialmente como o reconhecimento facial pode favorecer ou desfavorecer determinados grupos. Nascida na Etiópia,fugiu ainda adolescente para os Estados Unidos devido à guerra civil, ela criou um instituto de pesquisa independente sobre IA.
  7. Tulio de Oliveira – Diretor do Centro para Respostas e Inovação em Epidemias (CERI) na África do Sul, chefiou uma das equipes envolvidas na descoberta da nova variante do coronavírus e compartilhou os dados com a Organização Mundial da Saúde (OMS).
  8. Victoria Tauli-Corpuz – Filipina, ela é consultora de desenvolvimento e ativista internacional pelas causas indígenas. Na COP26, ela conseguiu com que os direitos indígenas fossem mais uma vez reconhecidos em um acordo que rege as parcerias internacionais e os mercados de carbono.
  9. Zhang Rongqiao – Engenheiro chinêsespecializado em tecnologia espacial, ele liderou a primeira missão bem-sucedida da China à Marte.
  10. Winnie Byanyima – Diretora executiva da UNAIDS ecofundadora do grupo de defesa People’s Vaccine Alliance, que visa recrutar líderes de governo para argumentar como o acesso e a distribuição igualitária de vacinas pode ajudar a promover seus interesses próprios.