2062: o ano em que humanos e inteligências artificiais trabalharão lado a lado

“Em menos de 50 anos, a Inteligência Artificial (IA) terá características como adaptabilidade, criatividade e inteligência emocional, assim como os humanos”. Essa previsão é do cientista e professor da Universidade de Sidney, Toby Walsh, em discurso recente no Festival de Idéias Perigosas.

Toby considera que 2062 será o ano em que a inteligência artificial vai se combinar à inteligência humana e ambas trabalharão lado a lado. O principal desafio para que isso aconteça será evitar um possível cenário apocalíptico – de desconfiança em relação às máquinas – ​​e determinar como avançar na nova era da informação para que não existam problemas de coleta de dados pessoais e questões de privacidade, por exemplo.

“Muitos de nós temos smartwatches que estão monitorando nossos sinais vitais, nossa pressão arterial, nossos batimentos cardíacos, e se você observar os termos de serviço, você não possui o histórico desses dados, mas eles podem estar armazenados em algum lugar que você mesmo desconhece”, explicou o cientista. A afirmação mostra como a maioria das pessoas se coloca em situações de exposição por conta própria em busca de praticidade, sem pensar nas consequências para sua vida privada.

Walsh acredita que o caminho mais saudável para continuar aprimorando a inteligência artificial e emocional é criar máquinas que estejam alinhadas com valores humanos – uma discussão já antiga e presente nas “leis da robótica” de Isaac Asimov. As leis mais básicas da convivência humana, presente nos estudos sobre moral e ética, devem ser os pilares da consciência dos robôs para evitar que as máquinas um dia se rebelem contra a humanidade.

Para Arie Halpern, essa é uma questão antiga e muito discutida por entusiastas e estudiosos da robótica. “O rebelar das máquinas é tema de ficções cientificas bem antes de isso poder se tornar uma realidade. Hoje, a robótica avançou de tal forma que um robô pode sim ser nocivo ao homem. Cabe a nós, portanto, impor os limites para que as obras não se virem contra seus próprios inventores”.


Comentários

2062: o ano em que humanos e inteligências artificiais trabalharão lado a lado — 1 comentário

  1. Alvissareira notícia, meu amigo. Creio não devamos nos preocupar com “rebeliões” por parte das máquinas. A possibilidade disso acontecer é muito remota, assim creio eu.O título de sua matéria diz, com acerto: “trabalhar lado a lado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *