Arie Halpern fala sobre a evolução dos projetos de carros autônomos

Arie Halpern fala sobre a evolução dos projetos de carros autônomos

Arie Halpern fala sobre a evolução dos projetos de carros autônomos

Na corrida pela liderança dos carros autônomos, gigantes de tecnologia, como Google, Mercedez-Bens, Uber, Apple, BMW e Tesla, foram as protagonistas em 2016. Devemos acompanhá-las se quisermos avistar o futuro de nossas ruas, assistindo às inovações e tecnologias que estão desenvolvendo e até observando as discussões morais por trás dos carros sem direção. “Os carros autônomos estão redefinindo nosso conceito de mundo automotivo”, diz o economista e empreendedor com foco em inovação e tecnologias disruptivas Arie Halpern.

Muitos avanços, no entanto, ainda são necessários para que esses veículos possam transitar pelos espaços públicos com segurança. Diversos acidentes foram reportados pela imprensa este ano envolvendo esses veículos.  Com a correção de erros humanos, por outro lado, segundo indicam pesquisas, a chegada dos autônomos pode reduzir as fatalidades no trânsito em até 90%.

Para entender o impacto que essa inovação trará para nossas vidas, neste artigo, Arie Halpern fala sobre a evolução dos projetos de carros autônomos.

 Tesla Motors – Hoje é a maior referência no mercado. Conseguiu colocar nas ruas diversos modelos semiautônomos, que funcionam como um “piloto automático”, fazendo com que o motorista não precise acionar todos os comandos do carro para dirigir. “A Tesla é a que chegou mais perto até agora de mostrar como será o futuro dos carros autônomos. Seu modelo  é capaz de manter o controle da velocidade, mudar de faixa e até mesmo desviar de obstáculos”, diz Arie Halpern. Essa liderança, no entanto, também fez com que a Tesla Motors se visse envolvida no primeiro acidente fatal com um carro inteligente, em junho deste ano.

BMW – A previsão é que seu carro autônomo esteja pronto até 2021. Para tornar isso realidade, ela iniciou uma parceria com a multinacional de tecnologia Intel. A BMW tem procurado oferecer uma abordagem diferente no que se refere ao software necessário para o funcionamento dos carros autônomos. O plano é criar uma indústria aberta, com um software que pode ser usado e melhorado por outras companhias interessadas na criação de veículos sem motorista.

Uber –  Chegou atrasada à corrida,  mas não demorou para se aproximar  de seus concorrentes. Apresentou seu primeiro carro autônomo este ano. Isso foi possível graças a uma parceria feita com o Google, a Ford, a Volvo e a Lyft. “A novidade do Uber é que ele traz os veículos autônomos para perto do conceito de carona”, diz Arie Halpern. Ou seja, seu carro autônomo é uma forma de ela não precisar contratar motoristas para oferecer os serviços de seu aplicativo. A empresa  começou a fazer os  primeiros testes do serviço em Pittisburgh, nos Estados Unidos.

Mercedes-Bens – Em janeiro, lançou o “mais avançado” carro autônomo, o E-Class, com um sistema semiautônomo que concorre com o da Tesla. Suas novidades são a capacidade de o carro mudar de faixa ao comando do passageiro e de estacionar sozinho. A empresa também apresentou o projeto de um veículo autônomo com um interior luxuoso em que os bancos ficam voltados para dentro, permitindo que os passageiros conversem durante a viagem sem se preocupar com a estrada.

Apple – Ainda não colocou nenhum carro autônomo no mercado, mas apresentou  conceitos do que podem vir a ser o futuro iCar. A empresa fez uma parceria com a chinesa Didi Chunxing, que oferece serviços de carona semelhantes ao Uber e anunciou que seu primeiro modelo totalmente autônomo deve chegar às ruas até 2026. A Apple tem enfrentado dificuldades para entrar no mercado e teve de demitir diversos funcionários que trabalhavam no projeto no mês passado.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *