Arie Halpern: inovações tecnológicas que marcaram 2016

Arie Halpern: inovações tecnológicas que marcaram 2016

Arie Halpern: inovações tecnológicas que marcaram 2016

O ano de 2016 celebrou a chegada de diversas tecnologias inovadoras nas mais diversas áreas: trens capazes de viajar a 1200km/h, baterias com cem vezes a capacidade das baterias atualmente usadas em celulares, inteligências artificiais e novos sistemas financeiros apoiados na conexão online. Para o economista e empreendedor com foco em inovação e tecnologias disruptivas Arie Halpern, inovações tecnológicas são grandes apoios para o avanço da humanidade na busca de superar problemas e facilitar nosso cotidiano. “Este ano vimos o surgimento de diversos dispositivos para auxiliar pessoas com deficiência e dispositivos para melhorar o trânsito e nosso uso de energia”, diz o empreendedor. O blog Disruptivas e Conectadas fez uma lista com algumas das tecnologias que mais marcaram 2016.

 

Inteligência artificial

A inteligência artificial talvez tenha sido o grande destaque do ano, além de ter sido o objeto de grandes controvérsias. Ela já ajudou pessoas com deficiência a escrever, auxiliou fazendas a separar material, otimizou a produção agrícola e até mesmo se tornou capaz de prever o futuro. Os avanços da inteligência artificial permitiram que os computadores se tornassem capazes de reconhecer padrões em enormes quantidades de dados. Ao longo do ano, muitas críticas surgiram sobre o assunto, dizendo que as pesquisas estão dando muito poder às máquinas. De uma forma ou de outra, a inteligência artificial continuará a fazer parte de nossas vidas por vários anos.

 

Realidade aumentada e virtual

O lançamento do jogo Pokémon Go, que utiliza o GPS do celular para permitir que o jogador “encontre” animais virtuais andando pelas ruas da cidade, foi o marco da evolução da realidade aumentada este ano. Desde então, a realidade aumentada passou para outros setores, como construção civil e educação. Tecnologia semelhante, a realidade virtual, que cria um mundo completamente novo em volta do usuário, por meio de óculos especiais, abriu espaço na área de esportes e diversas pesquisas indicam que ela pode ser utilizada para aliviar a dor de pacientes, no lugar de remédios. “Esses dois tipos de ‘realidade’ trazem inúmeros benefícios para várias áreas da vida humana”, diz Arie Halpern. “Ao contrário de anos atrás, quando acreditava-se que elas poderiam ser usadas apenas na indústria de entretenimento.”

 

Veículos autônomos

Outra inovação que foi comentada em 2016 foram os carros autônomos. Diversas empresas, como Google, Uber e Tesla, estão investindo grandes quantidades de dinheiro na evolução desses veículos, em uma corrida para ver quais modelos chegarão ao mercado nos próximos anos. A grande dificuldade até o momento é a legislação dos países referente aos carros autônomos. Segundo Arie Halpern, apesar desses veículos estarem se provando seguros para os passageiros, ainda há muitas questões legais que precisam ser resolvidas, como quem deve ser responsabilizado no caso de uma batida, o dono do carro ou a empresa que construiu o modelo.

 

Engenharia genética

Na área da medicina, um dos grandes destaques tem sido a engenharia genética. Utilizando um conjunto de tecnologias que alteram a composição genética de seres vivos, esse tipo específico de engenharia médica alcançou metas surpreendentes durante 2016. Em setembro, pesquisadores conseguiram, com sucesso, criar um bebê com material genético de três pais, para evitar que ele herdasse genes da síndrome de Leigh de sua mãe.  Até mesmo o vírus Zika virou alvo dos especialistas da área, que acreditam que modificar geneticamente o mosquito transmissor do vírus possa ser a forma mais eficiente de controlar a doença.

 

Foguetes reutilizáveis

Ao ser lançado na atmosfera, foguetes são comumente destruídos, mantendo-se apenas a ponta para cumprir a missão necessária fora da atmosfera da Terra. Apenas em 2015 um foguete retornou a solo terrestre após ter viajado para o espaço. O feito foi possível graças à SpaceX, empresa de Elon Musk, e à Blue Origin, de Jeff Bezos. Em abril, a SpaceX conseguiu o feito de retornar um foguete à Terra, em sua quinta tentativa. O principal ponto positivo desse processo é reduzir o custo das viagens espaciais e torná-las mais frequentes e seguras.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *