Arie Halpern: a IoT mudará a forma como vivemos e fazemos negócios

Arie Halpern: a IoT mudará a forma como vivemos e fazemos negócios

Arie Halpern: a IoT mudará a forma como vivemos e fazemos negócios

Ao longo dos anos, a internet conectou bilhões de pessoas no mundo inteiro. Agora, graças aos avanços da tecnologia, a rede conecta objetos às pessoas e a outros objetos. Com a  chamada “internet das coisas” (Internet of Thing ou IoT), dispositivos “conversam” entre si e se comunicam com os data centers e com sistemas em nuvem. Um indicativo de que a IoT vem ganhando espaço no mercado é apontado pelo portal TechCrunch, segundo o qual essas startups atraíram investimentos, nos últimos quatro anos, superiores a US$ 30 bilhões. A razão é simples: os dispositivos inteligentes são capazes de analisar dados e entender as necessidades do consumidor. “Hoje, queremos mais dos celulares, além de fazer ligações”, exemplifica Arie Halpern, empreendedor e economista com foco em inovação e tecnologias disruptivas. Da mesma, forma, diz ele, exigiremos cada vez mais funções desses dispositivos.

Um artigo publicado no portal ERCIM News explica que os dispositivos inteligentes são divididos em três categorias: os “wearables”, carregados pelos usuários no próprio corpo, como relógios e óculos; os dispositivos domésticos inteligentes, voltados para a casa (lâmpadas, maçanetas, termostatos e cortinas, por exemplo), e os M2M (“machine to machine”), conectados a redes de telefonia móvel, como os equipamentos de rastreamento de carros. Todos esses dispositivos estarão, direta ou indiretamente, conectados entre si, gerando, até 2018, 400 zettabytes de dados.

Para Arie Halpern, a IoT mudará a forma como vivemos e fazemos negócios. Ele cita reportagem da revista “Forbes” a respeito.

Outra novidade que a IoT trará para os consumidores: os materiais senciente, ou seja, aqueles que captam informações sobre os ambientes; eles conseguem capturar e retransmitir dados para sistemas em nuvem sem precisar estar conectados à internet, além de adequar seu comportamento dependendo das mudanças no ambiente. Pesquisadores do MIT estão trabalhando para desenvolver um tecido capaz de “ver, ouvir e sentir seu ambiente; se comunicar; guardar e converter energia; monitorar a saúde; controlar a temperatura e mudar de cor”. Para o futuro, portanto, podemos esperar que os objetos inteligentes se tornem muito mais presentes em nossas vidas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *