Arie Halpern: o melhor (e o pior) da CES, maior feira de tecnologia do mundo

Arie Halpern: o melhor (e o pior) da CES, maior feira de tecnologia do mundo

A CES (Consumer Electronic Shows) é a maior feira de tecnologia do mundo. Realizada desde 1967, o evento já apresentou algumas inovações importantes em primeira mão, como o CD (compact disc), o DVD (digital video recorder), o Blu-ray e as TVs em resolução HD e 4k. Neste ano, as principais novidades vão além de novos formatos de mídia, elas representam o futuro da locomoção e a maneira como encaramos das complexas às mais simples tarefas domésticas. Confira abaixo o melhor (e o pior) da CES.

A CES ofuscou alguns lançamentos apresentados uma semana antes dentro do tradicional Salão do Automóvel de Detroit, conhecido por antecipar o futuro automotivo. A tecnologia de auto-condução foi um dos temas centrais da feira. A autonomia para veículos automotores não se restringiu apenas aos carros de passeio, mas também foi apresentado o modelo da BMW, Lyft, voltado para o modelo de compartilhamento de caronas.

A Toyota também aproveitou a feira de tecnologia para apresentar sua ideia de utilizar veículos autônomos como lojas que vão até o cliente, e não o contrário.

A CES deste ano mostra que a disputa para ver qual empresa produz o assistente pessoal mais completo está apenas começando. Enquanto 2017 foi o ano de destaque para o Amazon Alexa, o Google Assistant é anunciado como uma extensão de todos os aparelhos imagináveis que você tem dentro de casa.

A internet das coisas é destaque em artigos domésticos comuns. Uma geladeira apresentada pela LG, por exemplo, não apenas possui uma tela de 29 polegadas sensível ao toque como também pode ficar transparente se o usuário tocar duas vezes. Outra novidade é uma câmera panorâmica no interior da geladeira que permite que, mesmo fora de casa, você veja pelo celular se está faltando algo no estoque.

Bizarrices

Invenções bizarras fazem parte do mundo da tecnologia e também podem ser encontradas na CES. É o caso do Qoobo um gato-robô que parece muito com uma almofada, que simula algumas ações do pet, como ronronar e balançar o rabo quando recebe carinho.

Há casos de invenções bem antiquadas. A Lovebox é uma caixinha de madeira com uma tela LCD que recebe mensagens de texto e gira um coraçãozinho conforme os recados chegam. O gadget pode ser útil, se você está pensando em aposentar seu smartphone.

Em outros casos, a tecnologia tenta simplificar algo que, digamos, já não é tão difícil assim, como abrir um vinho. Por mais que algumas pessoas tenham dificuldade em retirar a rolha de uma garrafa, esse é um desafio que apenas requer prática. A Coravin apresentou um produto que abre um vinho sem remover a rolha. Além disso, há um sensor que avisa via Bluetooth quanto ainda resta da bebida. Indispensável define. O preço? US$ 999, algo em torno de R$ 3,2 mil.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *