Arie Halpern: a tecnologia muda hábitos de compra

Para Arie Halpern, tecnologia continuará alterando o comércio

Para Arie Halpern, tecnologia continuará alterando o comércio

O desembarque da tecnologia digital no mercado de varejo, mais precisamente na área de compras, vem provocando mudanças significativas nas relações de consumo.  Tanto os hábitos dos consumidores como lojas e fornecedores estão tendo de ser adaptar rapidamente para responder da melhor forma possível às demandas do mundo digital. Entre as mudanças mais visíveis estão a presença dos smartphones durante as compras, o e-commerce e a interação com as lojas por meio de aplicativos. Para o economista e empreendedor com foco em inovação e tecnologias disruptivas Arie Halpern, a tecnologia  trouxe novas maneiras de conectar vendedores com compradores, o que impacta diretamente o comportamento de ambos os lados.

Segundo pesquisa publicada no portal Business Insider “The Future of Retail 2016” (O  futuro do varejo) sobre as alterações no mercado norte-americano com a chegada da tecnologia, as vendas por e-commerce ainda são menores do que as vendas em lojas físicas, mas crescem com mais rapidez. Para se ter uma ideia, apenas nos Estados Unidos, o número de compradores on-line cresceu quase 20 milhões em um ano. “Esses consumidores on-line também estão gastando mais do que os compradores físicos”, comenta Arie Halpern. “A geração millennial é uma das grandes responsáveis por esse processo, por incorporarem mais rapidamente as mudanças tecnológicas.”

Além das compras onlines, os millennials, nascidos entre a década de 1980 e 1990, costumam utilizar o smartphone mesmo quando está comprando em lojas físicas. Os aparelhos são usados para conferir cupons de desconto, comparar preços com outras lojas e até mesmo para comprar o produto e retirá-lo na hora. Esse hábito, conhecido como “click and collect” (“clique e colete”, em inglês) , tem registra forte crescimento, dada a sua comodidade: os consumidores realizam a compra em casa e retiram  o produto na loja, ao invés de esperar que ele chegue pelo correio. Essas práticas diminuem a frustração de ficar horas na fila ou descobrir, ao chegar na loja, que o produto está esgotado, diz Arie Halpern.

Os setores que apresentam os melhores desempenhos em vendas no e-commerce são os de mídia, esporte e hobbies, respondendo por quase metade das vendas nos Estados Unidos, que tiveram crescimento de 60% no último ano. Outras áreas também estão aproveitando a tecnologia para crescer, como é o caso dos móveis, quarto lugar na lista dos mais comprados. De olho nessa mudança de comportamento,  a loja de móveis Wayfair lançou um aplicativo para celulares e tablets que permite ao  usuário ver como um móvel ficaria em sua casa. Utilizando a câmera do aparelho e a tecnologia de realidade aumentada, o aplicativo consegue capturar o ambiente do potencial comprador e adicionar o móvel à imagem, permitindo que o usuário ajuste a posição em que gostaria que o móvel ficasse.

Outra rede que trabalha com e-commerce, o Walmart, decidiu inovar no setor com uma parceria com os aplicativos de carona Lyft e Uber. Consumidores que fizerem suas compras de mercado online podem escolher ter os produtos entregues na hora com uma taxa de entrega que varia de US$ 7 a US$ 10 dólares.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *