Arie Halpern: Tonisity apresenta na Alemanha suplemento alimentar suíno que reduz mortalidade de leitões

Segundo Arie Halpern, Tonisity Px melhora qualidade de vida dos leitões

Segundo Arie Halpern, Tonisity Px melhora qualidade de vida dos leitões

Criadores de porcos estão acostumados a ouvir que leitões em seus primeiros dias de existência não gostam de beber água ou qualquer coisa que não seja o leite materno. Uma nova empresa no mercado, no entanto, veio para mostrar que o mundo dos suínos, como o dos humanos, está sujeito a disrupturas. Segundo o economista e empreendedor em inovação e tecnologias disruptivas Arie Halpern, Tonisity, empresa com sede em Dublin, desenvolveu um isotônico suíno que traz uma mudança importante nos hábitos alimentares dos porquinhos recém-nascidos, comprovados em uma série de testes científicos. “É um produto disruptivo porque rompe com o velho pensamento de que os leitões só consomem colostro durante suas primeiras horas de vida”, diz ele, que também é diretor da empresa.

O produto disruptivo desenvolvido pela startup é o Px, lançado este ano nos Estados Unidos e na Europa. Ele será apresentado na maior feira internacional especializada em pecuária e manejo de animais, a Eurotier, que acontece em Hannover, na Alemanha, de 15 a 18 de novembro. Na edição de 2016, o evento contará com a participação de 2.523 expositores de 57 países diferentes e ocupará uma área de 280 mil metros quadrados. A Tonisity vai recepcionar os participantes no corredor 20, estande A07.

Como vieram comprovar os testes, realizados em fazendas na Irlanda do Norte, na Espanha e nos Estados Unidos, além de estudo realizado em parceria com a Universidade de Lleida na Espanha, ao Px pode contribuir muito para superar algumas dos maiores desafios que os criadores enfrentam no delicado período que vai até o desmame dos animais. O principal é elevar a taxa de sobrevivência das crias nas primeiras semanas após o parto. A taxa de mortalidade é alta, motivada por problemas de esmagamento ou sufocamento durante a disputa, entre as crias, para conseguir um lugar no peito da mamãe porca. Outros motivos são a diarréias, desidratação e baixo peso. Em relação a esses fatores, o uso do Px na alimentação dos leitões age favoravelmente, contribuindo para reduzir a mortalidade e aumentar a produtividade da criação. A ação do produto se dá principalmente sobre os enterócitos – células intestinais que constituem o último estágio do processo de absorção de proteínas e carboidratos pelo organismo. Se os enterócitos trabalham com eficiência, o corpo do animal absorve mais nutrientes e ele cresce de forma mais saudável.

O isotônico protéico Px também se provou uma bebida agradável ao paladar dos leitões. Esse atrativo é importante, pois estimula o consumo do produto no período em que os animais mais precisam dele. Com a administração do Px os leitões reduzem a dependência em relação ao aleitamento materno e diminui a disputa, na ninhada, para conseguir um lugar no peito da mamãe porca, o que reduz o risco de esmagamento. Os testes feitos com a administração de isotônico mostram que os animais tratados com ele também adquirem maior peso. Ficou afastada, além disso, qualquer possibilidade de efeitos nocivos pelo consumo do Px.

Um dos testes, realizado em uma fazenda em Iowa, Estados Unidos, com 968 leitões a partir do segundo dia de vida, mostrou que, no oitavo dia, o grupo de leitões que recebeu Px como suplemento alimentar pesava em média 1,55kg contra 1,25kg do grupo que não recebeu Px (grupo de controle). No 35º dia, os leitões do grupo Px pesavam 9,8 kg em média, em comparação com 8,78kg do grupo de controle. A taxa de mortalidade, por sua vez, foi de 10,3% na turma do Px, contra 15,1% no grupo de controle. Em outro teste, realizado na Irlanda, leitões alimentados com mingau à base de Px pesaram 370g mais do que os demais uma semana após o desmame. Depois de 13 semanas, os leitões do grupo que recebeu Px pesavam em média 4,78 kg a mais do que os que não receberam.

O uso do Px como suplemento alimentar para leitões no período de amamentação mostrou-se também muito benéfico para a morfologia intestinal dos porcos. Nos testes realizados na Espanha, com 608 leitões, verificou-se que aqueles que receberam Px tinha uma morfologia intestinal significativamente melhor do que a daqueles que não consumiram o isotônico. Acrescente-se, ainda, que o Px foi utilizado com grande sucesso como substituto da água em soluções com antibiótico, quando é preciso medicar os leitões atacados por diarreia. Ao todo, foram 11 estudos.

Sediada em Dublin, a Tonisity nasceu, em 2014, do casamento poliempresarial entre um representante norte-americano de isotônicos para cães e gatos, um fabricante irlandês de alimentos para animais domésticos e o empreendedor brasileiro Arie Halpern, um entusiasta de negócios tecnológicos inovadores e disruptivos.

Você pode ver o Px em ação no vídeo oficial da Tonisity:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *