As 10 tecnologias disruptivas que vão bombar, segundo Arie Halpern

As 10 tecnologias disruptivas que vão bombar na próxima década, segundo Arie Halpern

As 10 tecnologias disruptivas que vão bombar na próxima década, segundo Arie Halpern

Muito se tem discutido sobre o avanço das tecnologias disruptivas,  quebra de paradigmas e a implantação delas em nossa sociedade. Algumas inovações estão mais próximas de acontecer do que outras, mas não há dúvida de que elas chegarão em nossas vidas em algum momento e todos — consumidores, corporações e  governos — terão  de aprender a lidar com elas. É um caminho sem volta, porque elas acabarão fazendo parte do nosso cotidiano. As 10 tecnologias disruptivas que vão bombar, segundo Arie Halpern, economista e empreendedor com foco em inovação e tecnologia, estão elencadas abaixo. No estudo que fez sobre o tema, ele considerou os lançamentos previstos para a próxima década.

 

1 – Inteligência artificial

A inteligência artificial, ramo da informática que se propõe a dotar os computadores da capacidade de simular aspectos da inteligência humana,  já faz parte do nosso dia a dia em  aparelhos de smartphones, tablets e em computadores. Mas nos próximos anos, ela vai “viralizar”, para usar um jargão da internet.  “Podemos pensar em várias outras aplicações da inteligência artificial – em nossas casas, nos carros, na medicina, no serviço público”, comenta  Arie Halpern. Um bom exemplo é  o caso deste robô com inteligência artificial que respondia dúvidas de alunos em um fórum online.

 

2 – 3D

Hoje, as impressoras 3D são capazes de fabricar casas, prédios, roupas, comidas, próteses e até mesmo órgãos. Elas fazem muito mais do que imprimir: camada por camada, elas constroem. Atualmente, muito se tem falado sobre elas nos ambientes educacional, de saúde, de esporte ou de tecnologia. As impressoras 3D estão revolucionando a técnica de impressão, criando maneiras para que, em um futuro próximo, bens de consumo e industriais possam ser produzidos dentro de casa. Algo que significará uma verdadeira manufatura versátil e digital. Atualmente, essas impressoras são relativamente comuns em empresas, universidades e laboratórios de pesquisas, mas o avanço em sua tecnologia fará com que se tornem melhores e mais baratas e, portanto, mais acessíveis. Você poderá, por exemplo, comprar um modelo de um tênis e imprimi-lo em sua própria casa. “Essa facilidade de adquirir novos produtos revolucionará o mercado de varejo, que poderá comercializar itens muito mais customizados para os clientes”, afirma Arie Halpern.

 

3 – Carros autônomos

Carros que transportam pessoas ou bens sem a utilização de um condutor humano, os chamados carros autônomos, já estão no radar das grandes montadoras. Com mais alguns anos de testes, vamos assistir ao surgimento dos primeiros exemplares deles nas ruas. O uso da nova tecnologia não deverá ficar restrito ao setor privado. É muito provável, segundo Arie Halpern, que empresas  de transporte passem a utilizá-la, como o Uber planeja fazer. “Isso deverá mudar de forma significativa também o transporte público.”

 

4 – Robôs

Entre as 10 tecnologias disruptivas que vão bombar, segundo Arie Halpern, uma delas é a dos robôs. Eles já ganharam o chão de fábrica ao redor do mundo. No entanto, com o avanço da robótica, os robôs devem ficar cada vez mais especializados em determinadas funções, facilitando diversos aspectos de nossas vidas. Os drones prometem mudar a logística de entrega de produtos, afirma Arie Halpern, como mostram a Amazon e a DHL. Os exoesqueletos também estão evoluindo nos últimos anos.

 

5 – Cidades inteligentes

Cidades inteligentes, aquelas que conseguem se desenvolver no âmbito econômico ao mesmo tempo em que objetivam a qualidade de vida dos habitantes, trarão enormes benefícios para os cidadãos, com melhor controle de gastos de energia, trânsito e redes hidráulicas. “Sensores nas ruas e avenidas podem ajudar a aliviar engarrafamentos e diminuir o número de acidentes”, exemplifica  Arie Halpern. Em caso de acidente, diz ele, será possível que sensores instalados na área chamem uma ambulância, aumentando a eficiência do resgate.

 

6 – Internet das coisas (IoT)

Outra tecnologia disruptiva que comentei bastante neste blog, a IoT tem recebido diversos investimento de empresas de tecnologia, como a Google. Com a conectividade entre diversos objetos, ela não só tornará a vida mais ágil, como auxiliará em setores de manufatura, saúde e mineração.

 

7 – Armazenamento de energia

Utilizamos armazenamento de energia para notebook, tablets, smarthphones e, agora, até mesmo para carros. “O aumento da duração das baterias, devido a tecnologias disruptivas, mudará o modo como utilizamos esses aparelhos, e ficaremos menos dependentes de tomadas e carregadores”, comenta Arie Halpern. Essa será uma mudança significativa no nosso cotidiano, principalmente em relação aos veículos elétricos, que se tornarão mais competitivos no mercado. Em abril, cientistas da Universidade da Califórnia criaram uma bateria que dura 400 vezes mais que as atuais.

 

8 – Novas tecnologias na saúde

Pílulas inteligentes e sensores implantados na pele serão utilizados pelos médicos para fazer um diagnóstico mais preciso da saúde do paciente e facilitar a vida de pacientes que sofrem de doenças crônicas, como o diabetes. “Essas novas tecnologias poderão ser usadas também para monitorar a saúde de soldados ou atletas de alto rendimento de forma muito mais eficiente e com menor custo”, diz Arie Halpern. Um exemplo de que isso está se tornando uma realidade é a pílula criada por pesquisadores do MIT, que mede temperatura, respiração e batimentos cardíacos dos pacientes.

 

9 – Drones na agricultura

A chegada dos drones nas plantações tornará o processo de colheita mais ágil, além de possibilitar  o aumento da qualidade do plantio. Com a ajuda dos drones, diz Arie Halpern, fazendeiros poderão monitorar  as plantações, demarcar áreas, acompanhar o desenvolvimento da safra com muita facilidade e exatidão. A tecnologia também pode ser usada para observar rebanhos, evitar incêndios e monitorar desmatamentos.

 

10 – Consumo de energia 

As smart grids (redes inteligentes, em inglês) serão essenciais para diminuir os gastos com o consumo de energia e tornar a energia renovável mais presente nas cidades. “O impacto de sua implantação  será relevante para diversos aspectos ecológicos também”, diz Arie Halpern. E a vida dos consumidores vai melhorar, já que em caso de queda de energia ou problemas elétricos em alguma região, as smart grids poderão avisar os técnicos do problema imediatamente.

 

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *