Avião elétrico promete tornar setor mais ecológico

Pouco mais de um ano atrás, quando ainda não havia a ameaça de pandemia, em pleno verão no hemisfério norte, foi quebrado o recorde de voos comerciais num mesmo dia. O website de monitoramento de aviões Flightradar24 registrou no dia 25 de julho mais de 230 mil aeronaves no ar em 24 horas, quebrando o recorde que havia sido estabelecido apenas um dia antes, de 225 mil voos. Se, do ponto de vista dos mercados, aqueles foram dois dias a serem comemorados, ao mesmo tempo, houve preocupações em relação ao meio ambiente, já que esses seguidos recordes significaram necessariamente um aumento na emissão de gases geradores de efeito estufa. Para se ter uma ideia, o Airbus A380, o maior avião de passageiros do mundo, que pode levar 500 passageiros, é abastecido com até 320 mil litros de combustível em jornadas de longo curso.

Para melhorar essa relação, as empresas estão apostando em aviões que gastem menos, que trabalhem com combustíveis alternativos menos poluentes ou, no limite, que possam voar com emissão zero. Essa é a principal característica da primeira aeronave certificada do mundo movida a eletricidade, que fez a sua decolagem inaugural na Suíça na semana passada. O Pipistrel Velis Electro de dois lugares é usado principalmente para treinamento básico de pilotos. O silêncio do motor é uma vantagem adicional do modelo. O avião sobrevoou uma vila perto de Friburgo, de acordo com o organismo que regula a aviação naquele país, homologado pela Agência de Segurança da Aviação da União Européia (EASA). A fabricação é da empresa eslovena Pipistrel.

“Enquanto a eletrificação de motores avança sistematicamente na indústria automotiva, e podemos esperar boas notícias para os próximos anos, ainda havia uma defasagem importante na aviação, que agora está começando a ser corrigida”, diz o especialistas em tecnologias disruptivas Arie Halpern. “Essa certificação vai abrir a possibilidade de testes com modelos maiores, que têm grandes chances de emplacar daqui por diante”, completa.

Experiência e segurança

Nos três anos que antecederam o processo de certificação, a autoridade suíça definiu as condições de operação, manutenção e treinamento de pilotos e pessoal. Essa experiência criou um protocolo, que vai ser utilizado para futuras autorizações de voo para aeronaves de baixa emissão.

Com informações: Swissinfo; Flightrader24; Superinteressante; Todos a bordo; Switzerland’s Federal Office of Civil Aviation; European Union Aviation Safety Agency.