Big data e inteligência artificial revolucionam pesquisas de mercado e revelam até o inconsciente

Sem perceber, todos nós deixamos pegadas digitais que podem revelar muito mais do que supomos ou gostaríamos de mostrar. Um estudo sobre os padrões de consumo de notícias, usando recursos de Inteligência Artificial (IA) e computação em nuvem, revela que, tão-logo uma pessoa clica em uma página, já é possível perceber um padrão.

As possibilidades abertas pelo big data mudaram racialmente algumas categorias tradicionalmente definidas pelas pesquisas de mercado e pelo comportamento do consumidor. Uma das regras, por exemplo, era que leitores que procuram assuntos relacionados a celebridades e ao show business não se interessavam por política. Essa teoria caiu por terra após uma análise dos hábitos de leitores de 18 diferentes veículos de notícias online no Reino Unido. O uso de IA evidenciou comportamentos que não eram detectados pelos pesquisadores.

A análise mostrou que muitas personalidades não se restringem a um único perfil. No Reino Unido, por exemplo, pessoas que se interessam por notícias sobre membros da família real, como Meghan Markle, também leem sobre o primeiro-ministro Boris Johnson, embora não tenham particular interesse por política.

Isso porque uma figura como Boris Johnson ultrapassa as fronteiras da política atingindo um alcance muito mais amplo. Ao colocar big data na nuvem e analisar os dados usando IA, é revelado que o primeiro-ministro é visto por muitos como uma celebridade.

Assim, as pesquisas de mercado podem compreender o comportamento humano como nunca antes. A análise pode incluir, por exemplo, expressões faciais, permitindo avaliar com mais profundidade as reações diante de uma notícia ou imagem conforme as emoções expressadas.

Big Data e computação em nuvem

Muitas de nossas reações e reflexos numa decisão de escolha ou compra não são perceptíveis nem para nós mesmos. Essa lacuna em nossa compreensão está sendo preenchida por uma massa de dados e informações captadas por meio de cookies de rastreamento e de outras ferramentas que identificam nosso rastro ao visitar sites que despertam nosso interesse.

As pesquisas de mercado dispõem de acesso a grandes quantidades de dados armazenados e de capacidade de computação por meio de serviços em nuvem. Essa verdadeira revolução impulsionada pelas novas tecnologias está lançando luz sobre nossos impulsos e desejos mais íntimos.

Ao analisar respostas gravadas usando um software, os pesquisadores conseguem detectar aspectos do nosso inconsciente revelados por meio de nossas expressões faciais ou corporais e tom de voz. Um banco de emoções humanas gravadas e armazenadas na nuvem pode desmistificar nossos sentimentos mais profundos.

Os pesquisadores não precisam mais bater em nossas portas ou ligar para nossos celulares para fazer perguntas e de pranchetas para registrar nossas respostas. A evolução tecnológica está possibilitando a eles acessar nosso cérebro remotamente.