Bloqueio de mais de US$ 190 milhões em criptomoedas reacende briga com bancos

Um total de 190 milhões de dólares em criptomoedas se encontra bloqueado em uma plataforma canadense de dinheiro digital. O motivo? A única pessoa com a senha da plataforma, o seu fundador, Gerard Cotten, morreu repentinamente no fim do ano passado.

Os valores bloqueados são referentes às contas de cerca de 115 mil usuários do banco digital QuadrigaCX, a maior plataforma canadense dedicada a transações em bitcoins e outras criptomoedas.

Gerard Cotten faleceu aos 30 anos de idade durante uma viagem de voluntariado na Índia. Ele era portador da doença de Crohn, uma enfermidade que provoca inflamações no sistema digestivo.

De acordo com os documentos judiciais da empresa, Cotten era o único autorizado a realizar transferências para as contas dos usuários do banco. Seu computador era criptografado e só ele tinha conhecimento da senha.

Desde 2008, quando os bitcoins começaram a se popularizar, instituições financeiras vêm pressionando o governo norte-americano para taxar transações financeiras de criptomoedas. Eles argumentam que as taxas cobradas para manutenção de contas, transações e outros serviços, são primordiais para o pagamento de funcionários responsáveis pelo pleno funcionamento dessas instituições. A ausência dessas taxas – e de funcionários – seria uma desvantagem para o cliente, tornando a criptomoeda pouco segura.

“Esse episódio deve dar mais munição os defensores de regulamentação governamental  para as transações realizadas com criptomoedas”, avalia Arie Halpern, economista e especialista em tecnologias disruptivas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *