Casas do futuro: tendência é de espaços compactos com elevado uso da tecnologia, diz Arie Halpern

A nova geração quer maior praticidade e, sobretudo, espaços mais compactos com elevado uso da tecnologia, diz Arie Halpern.

A nova geração quer maior praticidade e, sobretudo, espaços mais compactos com elevado uso da tecnologia, diz Arie Halpern.

Moradias compactas estão crescendo na preferência das novas gerações. Uma pesquisa da National Association of Home Builders revela que os Millenials buscam casas cada vez menores. Para o economista e empreendedor com foco em inovação e tecnologias disruptivas, Arie Halpern, são vários os fatores que contribuem para esse comportamento. “A nova geração quer maior praticidade e, sobretudo, espaços mais compactos com elevado uso da tecnologia”, diz Arie Halpern.

Intel’s Smart Tiny House
A Intel acaba de desenvolver um projeto de espaço pequeno, porém totalmente tecnológico. A Intel’s Smart Tiny House é um experimento de como devem ser as casas no futuro. Na entrada, uma câmera faz o reconhecimento do morador por meio de um sistema de escaneamento – essa é a única maneira de destrancar a porta, que não possui entrada para chaves. A casa possui reconhecimento de voz e emparelhamento com outros aparelhos, como smartphones e tablets. Esses recursos permitem mudar a temperatura dos cômodos, acender, apagar ou até mudar a cor das luzes, entre outras intervenções em eletrodomésticos, por meio de comando de voz. A casa do futuro, além de “entender” o que o morador pede, é proativa e alerta quando há algum vazamento ou luz queimada, e sugere serviços de reparo especializados nas redondezas.

Kasita
O designer Jeff Wilson criou uma casa high-tech de 22 m² totalmente portátil: a Kasita. Criada sob conceitos minimalistas, a casa é semelhante a um container e pode ser transportada por um caminhão para qualquer localidade – sem a necessidade de se retirar nenhum móvel de lugar. A Kasita é equipada com o sistema Amazon Echo, vidros inteligentes e controle de temperatura em todos os cômodos.

Robô jardineiro
Outro aspecto importante de uma casa inteligente é a preocupação com a sustentabilidade. Uma construção pequena em um terreno médio permite que você tenha um quintal de tamanho razoável. “Nesses espaços, vale a pena combinar tecnologia com a natureza para obter o melhor aproveitamento do espaço”, comenta Arie. Um bom exemplo disso é o FarmBot, um robô de estrutura leve que funciona como um jardineiro no seu próprio quintal. Com comandos simples de programação, o robô pode plantar diversos tipos de frutas e legumes em espaços reduzidos, de maneira inteligente. Sensores ainda permitem que ele combata insetos ou pragas que estejam atrapalhando o crescimento da planta.

Painel solar
As soluções sustentáveis para lares pequenos também envolvem a geração de energia. Com um pequeno investimento, por exemplo, o morador pode adquirir um painel solar para aquecer a água do chuveiro ou até mesmo para gerar energia elétrica.

Investir em tecnologia pode ser o equivalente, em termos financeiros, a equipar sua casa com diversos móveis. Mas com um retorno maior: “a grande diferença é que um pequeno aparelho pode desempenhar a função de vários móveis pesados e caros; as soluções tecnológicas são eficientes e práticas, pois permitem aos usuários planejar a moradia de acordo com a vida pessoal, e não o contrário”, diz Arie.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *