Cérebro humano é ligado à internet pela primeira vez

Cérebro humano é ligado à internet pela primeira vez

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Wits, em Joanesburgo, na África do Sul, desenvolveu uma maneira de conectar o cérebro humano à internet em tempo real pela primeira vez na história. O estudo, publicado no portal Medical Express, foi apelidado de Brainternet e “essencialmente, transforma o órgão como parte da Internet das Coisas”.

O projeto captura sinais de ondas cerebrais por meio de método de eletroencefalograma conectado à cabeça do usuário. Os sinais, então, são transmitidos para um computador Raspeberry Pi, que transmite os dados para uma interface de programação de aplicativos e os exibe em um site aberto onde qualquer pessoa pode acessar a atividade.

“Brainternet é uma nova fronteira nos sistemas de conexão entre cérebro e máquina. Há uma falta de informações facilmente compreensíveis sobre como o cérebro humano funciona e processa certos dados. A Brainternet procura simplificar a compreensão do próprio cérebro de uma pessoa e também do cérebro de outros. Isso só possível por conta do monitoramento contínuo da atividade cerebral”, explica Adam Pantanowitz, supervisor do projeto.

Apesar de instigante, o projeto ainda não possui uma utilidade definida. Pantanowitz afirma ser apenas o começo das possibilidades do estudo. A equipe agora está se aprofundando em uma experiência mais interativa entre o usuário e o seu cérebro. Algumas dessas funcionalidades já foram incorporadas, mas ainda muito pouco aprofundadas – limitadas a estímulos, como o movimento do braço.

Os dados coletados nesse projeto podem ajudar a melhorar a compreensão de como nossas mentes funcionam e como podemos aproveitar esse conhecimento para aumentar nosso poder cerebral.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *