China: tecnologia robótica para responder à ameaça do coronavírus

A comunidade internacional segue preocupada com a possibilidade de propagação do coronavírus, e as medidas sanitárias de emergência estão sendo tomadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelas administrações de saúde dos governos nacionais e locais. No epicentro da propagação do vírus, a China, os esforços sanitários incluíram a construção de dois hospitais inteiramente novos: um deles ficou pronto em 10 dias, e o outro em 15 dias.

A política de contenção da epidemia que já matou mais de 700 pessoas no país conta com o auxílio da tecnologia robótica. A Keenon Robotics, uma empresa com sede em Xangai, implantou 16 robôs de um modelo apelidado de “amendoim” em um hospital em Hangzhou depois que um grupo de viajantes de Wuhan a Cingapura foi mantido em quarentena. Enquanto isso, a Siasun Robot and Automation doou sete robôs médicos e 14 robôs de serviço de catering para a Cruz Vermelha de Shenyang para ajudar os hospitais a combater o vírus. A JD Company está testando o uso de robôs de entrega autônomos em Wuhan, onde as contaminações foram mais numerosas.  A mídia local também informou que robôs estão sendo usados em hospitais também em Guangzhou, Jiangxi, Chengdu, Pequim, Xangai e Tianjin.

“O coronavírus continua a ser um risco de saúde pública global importante, mas o uso intensivo de tecnologia em um país preparado para isso, ajuda a manter a situação sob controle, mostrando mais uma vez como o investimento em pesquisa e ciência é a chave para o desenvolvimento de uma nação e da melhoria de qualidade de vida para todos”, avalia o especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern.

 

Rede 5G

A rede de internet ultrarrápida de quinta geração permite que os cuidados com pacientes, como diagnósticos ou cirurgias, possam ser feitos a distância com o auxílio dos robôs, o que ajuda a aumentar o efetivo médico disponível em uma região afetada. Além disso, medidas de precaução para diminuir o contato entre pessoas que poderiam ser afetadas também podem ser feitos por robôs, como os serviços de entrega e abastecimento.

 

Com informações: Bloomberg; G1;  Keenon Robotics;  Siasun Robot and Automation;  JD co.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *