Cientistas desenvolvem mineral que pode remover gás carbônico da atmosfera

A humanidade encontrou mais uma forma para ajudar a salvar o meio-ambiente. Cientistas descobriram uma maneira de produzir em laboratório um mineral conhecido como magnesita, que pode absorver o gás carbônico da atmosfera, oferecendo uma estratégia potencial para combater o aquecimento global

Apresentado na Conferência Goldschmidt, em Boston, o estudo produzido pela Trent University, em Ontário, nos EUA, foi liderado pelo professor Ian Power, que vinha pesquisando meios para combater as mudanças climáticas há anos.

Uma tonelada de magnesita natural pode remover cerca de meia tonelada de COda atmosfera, mas a sua taxa de formação é muito lenta.

“Este é um processo que leva centenas de milhares de anos na natureza na superfície da Terra”, explicou Power, em entrevista ao Independent.

Para superar esse problema, Power e sua equipe identificaram os processos que formam a magnesita naturalmente a baixas temperaturas, e então usaram esse conhecimento para acelerar dramaticamente sua cristalização. Usando microesferas de poliestireno como catalisador, os pesquisadores reduziram o tempo necessário para formar magnesita no laboratório para apenas 72 dias.

E como as microesferas permanecem inalteradas durante o processo, elas podem ser reutilizadas, tornando o processo extremamente eficiente.

Estudiosos já estavam procurando maneiras de diminuir o dióxido de carbono da atmosfera, mas sempre encontraram limites práticos e econômicos para atingir o objetivo. Agora, pela primeira vez, os pesquisadores explicaram como a magnesita se forma em baixa temperatura e oferece um caminho para acelerar dramaticamente sua cristalização.

A magnesita é uma rocha natural usada em joalheria e em vários processos industriais, e sua capacidade de armazenamento de carbono já era conhecida dos cientistas.

“Por enquanto, reconhecemos que este é um processo experimental, e precisa ser ampliado antes que possamos ter certeza de que a magnesita possa ser usada na captura de carbono (tirando CO2 da atmosfera e permanentemente armazenando-a como magnesita)”, conclui Power em seu artigo.

Especialista em inovação e tecnologias disruptivas, o empresário Arie Halpern considera a pesquisa com a magnesita um grande avanço no combate ao aquecimento global. “A mudança climática é uma realidade e uma das maiores preocupações das pessoas ao redor do mundo. Com o apoio necessário, podemos expandir essa descoberta e transformar essa solução em realidade”.

Leia também: “Despoluir a atmosfera é desafio das novas invenções tecnológicas”, diz Arie Halpern


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *