Como a tecnologia aprimora o trabalho da polícia

Uma recente pesquisa feita no período eleitoral, durante o ano passado, revelou que as duas maiores preocupações do eleitor brasileiro estavam relacionadas a escalada da violência, ou seja, o  medo de perder um ente querido de forma violenta ou  de sofrer algum tipo de violência pessoal. Realizado  pelo instituto Real Time Data, o levantamento também revelou que 85% dos entrevistados mostravam preocupação excessiva com a segurança pública.

Essa preocupação não é exclusiva do brasileiro. A grande diferença é que, em outros países, muito já foi feito para combater a escalada da violência, e grande parte desses esforços só foi possível por conta de novas tecnologias. Em matéria de segurança pública, não faltam inovações tecnológicas em prol do combate ao crime. Confira algumas tecnologias que transformaram regiões violentas em lugares mais tranquilos, tornando o trabalho da polícia e de outras autoridades mais integrados e eficientes.

Drones

O uso de drones nos EUA é muito mais comum do que imaginamos. Além do exército, esses pequenos robôs voadores também estão presentes no cotidiano da polícia, sobretudo no dia a dia das patrulhas de fronteira. Drones podem fornecer informações em tempo real para policiais e analistas criminais, para que os agentes da lei possam obter informações vitais sobre crimes em andamento e situações perigosas.

Elestambém conseguem capturar vídeo e imagens de crimes à medida que ocorrem, fornecendo evidências cruciais em futuros processos judiciais. No caso de um assalto a banco em andamento, odrone de vigilância poderia ser rapidamente enviado para a área e seguir o suspeito em fuga para sua casa ou esconderijo sem ser notada, evitando uma situação potencial de reféns ou ferimentos desnecessários.

No ano passado, a adoção de um único drone pela polícia da Cidade do México mostrou-se diretamente responsável pela queda de 10% na taxa de criminalidade, segundo dados do próprio departamento de polícia da cidade. Esse drone já auxiliou os agentes da lei mexicanos a efetuarem cerca de 500 prisões no período de um ano.

Realidade Aumentada (RA)

Com a ajuda do Google glass e outros óculos semelhantes no mercado, policiais podem identificar criminosos. Dotados de software de reconhecimento facial, esses óculos são capazes de fornecer detalhes sobre as pessoas abordadas pelos policiais, como nome, local, mandados e crimes passados – se houver. Da mesma forma, esses óculos podem ajudar os policiais a identificar o proprietário de qualquer veículo, examinando a placa do mesmo.

Além de ajudarr no trabalho da polícia, o equipamento é primordial para dar  transparência ao trabalho da corporação. A maioria dos modelos de óculos de RA também possui a funcionalidade de gravar, registrando a ação policial em vídeo e armazenando as abordagens para que não haja dúvida quanto à conduta dos agentes. Em diversos estados americanos o uso de óculos de realidade aumentada está incorporado ao  cotidiano dos departamentos de polícia.

Big Data

Dicas e informações sobre atividades suspeitas e possíveis ameaças são essenciais para a polícia. No entanto, devido à limitação de agentes, é quase impossível acompanhar todos os indivíduos que podem infringir a lei – sem falar nos casos frequentes de falsas ameaças. É aí que entra o Big Data.  Com um banco de dados alimentado por sistemas de vigilância e estatísticas da própria polícia, é possível traçar um mapa das regiões onde há maior reincidência de crimes.

A polícia britânica tem um projeto de mapeamento de bairros, em Londres, baseados em algoritmos de Big Data que vem funcionando. Segundo relatos, a polícia londrina já percebeu que a chance de um crime ocorrer em um local já classificado como perigoso é dez vezes maior do que a de ocorrer em uma área aleatória. Dessa forma, é possível deslocar os agentes de forma mais eficiente, graças ao cruzamento de dados sobre criminalidade.

Com tecnologias relativamente simples e disponíveis, portanto, o trabalho da polícia pode ser melhorado e valorizado. Quem ganha com isso é a população, constantemente preocupada com a escalada da violência.

Publicado em Reflexões Tagged , Link Permanente

Sobre Arie Halpern

Arie Halpern é um economista e empresário com vocação para inovações. Criou empresas alinhadas ao conceito de tecnologia disruptiva, como a CTF Technologies, e atualmente é diretor da irlandesa Tonisity, que desenvolveu uma tecnologia inovadora em nutrição e bem estar de porquinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *