Como a tecnologia reinventou a indústria hoteleira nos últimos anos

Em 2017, o número de turistas viajando em todo o mundo cresceu 7% em relação ao ano anterior, segundo dados da Organização Mundial do Turismo (WTO). Para a indústria hoteleira mundial, responsável por movimentar 550 bilhões de dólares por ano, é necessário inovar constantemente para atrair esses novos hóspedes e se destacar no mercado, e um das formas mais buscadas é o investimento tecnológico. Mais da metade dos hotéis americanos acima de três estrelas admitiram ter apostado em novas tecnologias para atrair os clientes no ano passado, segundo um estudo realizado pela Lodging Technology Study.

Serviços exclusivos, combinados com tecnologia, são diferenciais competitivos para o setor desbancar outros meios de hospedagem que tentam disputar os viajantes. Veja algumas ideias onde a aplicação da tecnologia aperfeiçoou os serviços de alguns estabelecimentos, reinventado conceitos da indústria hoteleira.

Como a primeira impressão é a que fica, o hotel nova-iorquino Yotel resolveu inovar nos tradicionais carregadores de mala logo na recepção. Inaugurado em 2011, o estabelecimento investiu na criação de um robô para atuar como conciérge: o Yobot. A máquina é um braço mecânico que carrega as malas dos hóspedes. No momento de realizar o check-out, o robô também separa as malas e as envia diretamente para o aeroporto que será utilizado pelo hóspede. Dessa forma, o cliente não precisa se preocupar em carregar o peso extra da mala na hora de voltar para seu destino de origem e pode aproveitar as últimas horas de sua estadia com maior tranquilidade.

O Hotel Aloft Cupertino conta com um robô exclusivo que funciona como mordomo dos hóspedes. O Botlr, como é chamado, leva pedidos ao quarto dos hóspedes e faz algumas atividades programadas, como chamar o hóspede para compromissos agendados ligando diretamente no seu celular. O robô se movimenta pelo saguão e pelos corredores dos andares anotando pedidos e ajudando os hóspedes. Usa o elevador para se movimentar de um andar para o outro.

Localizado na região conhecida como meca da inovação, o Vale do Silício,   o hotel Four Seasons apostou em uma experiência tecnológica de ponta para seus hóspedes. Todo o complexo é conectado a uma rede Wi-Fi de 100MB, inclusive em áreas de difícil acesso, como piscina e cobertura. No lobby, diversos iPads pré-carregados com revistas e jornais do mundo todo substituem o uso do papel. No quarto, a presença de dispositivos tecnológicos também é abundante, incluindo uma tela de monitoramento de seis polegadas que permite ao hóspede visualizar quem está na porta de seu quarto e sensores infravermelhos que dizem à camareira se você está ou não no cômodo.

Para evitar a desconfortável ligação para pedir refeição ou tirar dúvidas, redes famosas estão investindo em outras formas de comunicação mais eficientes e cômodas para seus hóspedes. A Starwood Hotels & Resorts’ desenvolveu uma rede chamada Lets Chat 24/7 que utiliza aplicativos como Whatsapp ou iMessage para que os clientes possam fazer pedidos diretos para a recepção ou cozinha.

Diante de tantos exemplos de ponta, é importante lembrar que também é possível inovar com um orçamento bem menor. Uma boa alternativa é o investimento nas redes sociais do hotel, já que  hoje muita gente condiciona a escolha do hotel à avaliação do estabelecimento feita por hóspedes em redes sociais ou sites como o TripAdvisor.  Como a hospedagem é uma experiência que depende da percepção do cliente, é importante ter uma forte presença nas redes sociais, facilitando o acesso por hóspedes para tirar dúvidas ou reservar um quarto.

Veja Também: Hotel Starwood lança quarto de hotel com controle por voz


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *