Concorrência na pandemia faz programas de reunião acelerarem melhorias

A nova realidade das reuniões virtuais, que se multiplicaram durante a pandemia do novo coronavírus, gerou um movimento de crescimento exponencial em alguns programas que oferecem recursos para suas realizações. Um dos aplicativos mais procurados, o Zoom, cresceu nada menos do que 30 vezes, de 10 milhões para 300 milhões de usuários por dia. Outro programa bastante popular, o Teams, da Microsoft, foi de 32 milhões para 75 milhões de pessoas num intervalo curto, de pouco mais de um mês, no início do período da quarentena.

“Esses números ajudam a entender como esse tipo de ferramenta se tornou fundamental para a continuidade da atividade produtiva durante o período mais crítico da pandemia, e, de certa forma, permitiram que a economia continuasse funcionando, sem entrar num colapso absoluto”, afirma o especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern. “E a nova realidade dos programas de reunião, impulsionada pelas necessidades de isolamento social, lançaram a concorrência a um novo patamar, fazendo com que os maiores players do mercado promovessem mudanças nas suas principais ferramentas, tentando conquistar uma parcela desse novo público”, completa o especialista.

Com o Zoom no topo de vendas do APP Store durante os últimos meses, o Facebook viu o seu aplicativo de interação, o Messenger Rooms, perder terreno. E decidiu contra-atacar mudando sua configuração. A nova versão foi anunciada esta semana, e o MSN, a partir de agora, exibirá as salas para as quais o usuário foi convidado na parte superior da guia de chats, em sua caixa de entrada para torná-las mais fáceis de encontrar. O novo desenho busca também facilitar a experiência de quem deseja criar uma sala nova e convidar pessoas. Além disso, agora, o usuário pode criar uma sala com uma atividade padrão, sugerida ou personalizada, definir uma data de início e personalizar sua seleção de público. Com isso, o Facebook pretende aproveitar a popularidade de sua rede social e de seu aplicativo de chat para torná-lo também mais conhecida sua versão para salas de reunião.

Arte personalizada

Nesse mesmo movimento, um dos competidores mais jovens desse mercado, a Houseparty, decidiu inovar no estilo. O aplicativo é um serviço de rede social que permite conversas de vídeo em grupo por meio de aplicativos móveis e de desktop, e tem apresentado um crescimento consistente. Para cativar seu público, foram criados frames que são coleções originais projetadas por artistas independentes, para uso como fundos de chat de vídeo.

Com informações: TechCrunch; O Estado de São Paulo; Olhar Digital; Zoom; Microsoft; Houseparty.