Coreanos criam roupa confortável e barata que mede funções vitais

Os equipamentos vestíveis, criados como tecidos que podem ser confeccionados, são um dos ramos mais promissores das pesquisas em novas tecnologias, que devem mudar em pouco tempo a vida das pessoas. Por meio de sensores instalados, as roupas do futuro devem realizar tarefas de climatização, sinalização, interação com outros equipamentos, principalmente quando estiver disponível a conexão de internet 5G de forma massiva.

Uma área que pode se beneficiar em curto prazo desse desenvolvimento, é a hospitalar. Afinal, num momento em que temos a saúde fragilizada, a informação rápida e precisa sobre sinais do corpo pode ser decisiva para o sucesso de um tratamento. Foi pensando nisso que pesquisadores do Korea Advanced Institut of Science and Tchnology (KAIST) criaram um tecido capaz de identificar sinais vitais de forma muito precisa e rápida. Ele pode ser usado para fazer trajes confortáveis, que no futuro serão usados pelos pacientes internados. A pesquisa chamou a atenção de especialistas do mundo todo, e ganhou destaque na revista especializada ACS Apllied Materials & Interfaces, uma das mais importantes do mundo. O sensor foi capaz de monitorar os movimentos humanos com pequenas deformações, como um pulso próximo à artéria carótida e o movimento muscular ao redor da boca durante a pronúncia.

O desafio técnico para fazer um sensor vestível deve-se ao fato de ele ter de apresentar alta sensibilidade, ao mesmo tempo em que é flexível e elástico. Afinal, de nada adianta o tecido realizar bem sua função se ele não se presta a fazer roupas confortáveis. A solução encontrada pela equipe foi desenvolver um sensor de deformação do tipo óptico, um caminho inovador, que ofereceu soluções muito mais atraentes do que qualquer equipamento com a mesma finalidade tentado anteriormente. O material que serve como suporte é o Ecoflex, resistente e bastante adaptável à pele humana.

“As possibilidades dessa nova tecnologia são imensas, principalmente porque a equipe se preocupou com o aspecto econômico da criação, o que torna a sua aplicação mais efetiva em um prazo médio”, diz o especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern. “Imagine como isso pode fazer diferença em casos graves de infecção por Covid-19, com a medição dos batimentos, oxigenação, temperatura em tempo real”, completa.

 

Aplicações em outras áreas

A equipe entende que o sensor pode ser amplamente utilizado em uma variedade de campos, por sua adaptabilidade e baixo custo de produção. Os pesquisadores apontam áreas promissoras como soft robótica, eletrônicos vestíveis para outras finalidades, peles eletrônicas para equipamentos e até mesmo entretenimento.

Equipe coreana cria um equipamento vestível com uso médico capaz de detectar sinais vitais com extrema sensibilidade em tempo real.

Com informações: Phys; Korea Advancedt Institut of Science and Tchnology (KAIST);  ACS Apllied Materials & Interfaces; OMS, Wikipedia.