Dias das mães: Arie Halpern lista startups de mães para mães  

Dias das mães: Arie Halpern lista startups

Depois de ter filhos, ter um negócio próprio. Para a maioria das mulheres, por vários motivos, uma coisa leva à outra. De acordo com a pesquisa “Quem são elas?”, feitapela RME – Rede Mulher Empreendedora, 75% das mulheres da classe B entram no mercado como empreendedoras após o nascimento dos filhos; na classe C, esse percentual aumenta para 83%. Entre outros motivos, porque querem conquistar a independência econômica e precisam encontrar uma atividade flexível, que lhes permita dividir-se entre o trabalho e o cuidado com a criança. Com a proximidade do Dia das mães, Arie Halpern lista startups de mães para mães.

“A sociedade coloca dificuldades à inserção das mulheres no mercado profissional após a maternidade. Então, as mulheres encontraram uma saída transformando-se em empreendedoras”, comenta Arie Halpern, economista e empreendedor especializado em inovações tecnológicas. “Antigamente, isso se resolvia com a prestação de serviços como costurar, lavar ou cozinhar para fora. Com o advento da internet, as possibilidades de empreender se ampliaram em todos os segmentos sociais.”

Veja a lista para o Dia das Mães com startups de mães para mães:

1. Rede Mulher Empreendedora

A rede reúne mais de 300 mil empreendedoras cadastradas e promove encontros para estimular as mulheres a empreender. Foi idealizada em 2010, a partir do “Programa 10 mil Mulheres da FGV”, por Ana Lúcia Fontes e Alice Salvo Sosnowski.

2. Baby.z

O site oferece um serviço para ajudar os pais a se organizarem durante a gravidez. É como um cartão de pré-natal digital com várias abas e ferramentas em que os pais podem fazer anotações, postar fotos ou guardar cópias das ultrassonografias do bebê.

3. EuNeném

Partindo da experiência própria, o casal Ricardo Diamante e Camila Piovesana desenvolveu o site em que os pais podem criar convites virtuais para o chá de bebê  e montar listas de desejo para o enxoval. Em 2015, a startup foi uma das 1800 selecionadas pelo programa de aceleração Start-Up Chile.

4. Mamatraca

Mãe de Joaquim e Tomás, Anne Rammi juntou outras blogueiras para compartilhar histórias reais sobre as experiências de maternidade. O projeto não aceita publicidades que contrariem o pensamento do grupo nem brindes e se posiciona pelos direitos das mulheres e em defesa da maternidade.

5. Baby & me

Karen Kanaan e Ana Carolina Vaz, idealizadoras do projeto, tiveram a ideia a partir das dificuldades que enfrentaram nos primeiros meses dos bebês. Com início em 2015 e um investimento de R$ 15 mil, o pontapé inicial foi trazer para o Brasil a venda de produtos pouco conhecidos até então, como um protetor de colchão absorvente e descartável ou o Porta Caca, rolo com sacos biodegradáveis para descarte de fezes e xixi.

6. Macetes da mãe

Desenvolvido durante o “Programa 10 mil mulheres da FGV”, o site oferece informações minuciosas sobre todas as questões que envolvem a maternidade. Ele também se dedica ao comércio eletrônico de artigos para bebês.

7. Comadres

Para as mães de primeira viagem. Oferece planos mensais e quinzenais de aluguel de qualquer artefato que as mães precisarem durante a gestação e crescimento do bebê.

8. Click Babá

Startup criada pelo casal Luciana Pereira e Taric Andrade. O aplicativo é o único no Brasil que propõe uma rede de confiança e colaboração entre os pais e as babás. A interface é simples: você solicita o serviço, recebe propostas das profissionais disponíveis e escolhe a que achar melhor. Na hora de pagar é tudo feito via app. Atualmente são mais de 3 mil babás cadastradas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *