Dispositivo israelense cura enjoo por meio de pulsações

Quem sofre com enjoos frequentes sabe que nem sempre os remédios resolvem o problema. Pensando nisso, a startup israelense Sidis Labs desenvolveu um dispositivo, batizado de Motion Cure, capaz de curar os sintomas de enjoo e mal estar utilizando pulsações. Ele é um suporte para pescoço parecido com uma almofada de viagens. Os pulsos enviados chegam ao cérebro através do nervo mediano localizado na parte de trás do pescoço e do sistema vestibular interno do ouvido, que é uma rede de nervos, canais e fluídos dentro do ouvido que transmite ao cérebro a sensação de movimento e equilíbrio. Ao “manipular” essas pulsações, o Motion Cure consegue fazer a sensação de enjoo passar, informa o portal Israel21c.

Segundo o site do Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra, o enjoo de movimento ocorre quando existe um conflito entre aquilo que os olhos veem e aquilo que o ouvido interno, que contribui para o equilíbrio, sente.

Segundo Ohad Raz, executivo da Sidis Labs, o Motion Cure é uma grande inovação para quem sofre de enjoo, além de ser o único dispositivo com essa função. Outra forma de se livrar dos sintomas é por meio de remédios. “Não existe uma solução efetiva para esse mal”, disse ele ao Israel21c. “Para algumas pessoas o Motion Cure não funciona e somos honestos em declarar: ‘se não funciona para você, devolva’. Mas algumas pessoas dizem que é como mágica, uma solução surpreendente.”

A ideia inicial do projeto era tratar apenas enjoos de movimento, mas depois do seu lançamento, em 2016, a empresa recebeu depoimentos de pessoas informando que o Motion Cure ajudava também pacientes com câncer que fazem quimioterapia e enjoo matinal em grávidas. “Eu nunca pensei que pudéssemos ajudar pessoas que sofrem com os efeitos colaterais da quimioterapia. No enjoo de movimento o pior cenário é o vômito e dá para lidar com isso. Mas quando você faz quimioterapia, você sofre com tantas outras coisas e se pudermos melhorar a sua vida, mesmo que seja só um por cento, ficaremos muito felizes”, diz Ami Dror, cofundador e investidor da Sidis Labs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *