Dispositivos com tecnologia CleanTech roubam a cena na CES

Realizada há mais de 50 anos, em Las Vegas, a Consumer Eletronics Show (CES) se tornou um dos grandes palcos para lançamento de inovações da indústria de eletrônicos. Este ano, em meio aos riscos de transmissão da covid-19, a feira acontece online pela primeira vez. E, em meio a drones futuristas, carros voadores e celulares enroláveis, se destacam dezenas de tecnologias destinadas a tornar o mundo mais higiênico.

São mochilas antimicrobianas, robôs purificadores de ar com luz ultravioleta e inúmeros aparelhos de limpeza para a casa, o carro, os óculos ou qualquer outro objeto. E mesmo os equipamentos cujas funções não envolvem limpeza estão sendo projetados não só para que possam ser higienizados, mas para que isso possa ser feito imediatamente após o uso. Assim, as palavras de ordem, que se repetem a cada troca de tela, são antimicrobiano, antibacteriano e antiviral.

E, claro, muitos dispositivos inovadores que estão em exposição são acionados sem a necessidade de toque, seja usando voz, reconhecimento facial, autenticação por telefone ou dotados de chip RFID (Radio Frequency Identification).

O especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern pondera que “apesar de todos esses produtos serem desenvolvidos com base científica, sua eficácia para ajudar na eliminação do novo coronavírus, e mesmo outros vírus e bactérias, depende de uma série de condições, como a forma e o tempo de uso e medidas”.

5 dispositivos que usam CleanTech lançados na CES:

  • Adibot

A chinesa UBTech lançou dois robôs que usam luz ultravioleta para eliminar o novo coronavírus para ser usado em hospitais. Batizado Adibot, ele é móvel e pode ser controlado  remotamente. A ideia da empresa é comercializá-lo por meio de um plano de assinatura.

Purificadores de ar portáteis, em formatos variados, são provavelmente os produtos em maior número na feira. A sul-coreana LG levou para a CES um aparelho em forma de máscara que, segundo a empresa, consegue filtrar até 99,95% dos vírus e bactérias do ar e tem filtros controlados por sensores.

Outra solução em forma de máscara, a AirPop Active+, vem com sensores e, além de filtrar o ar, identifica o comportamento do usuário, como hábitos de respiração, e pode ser conectada a dispositivos Android e iOS.

A norte-americana BioIntelliSense criou uma espécie de botão que, colado na pele por meio de um adesivo, identifica possíveis sintomas da covid-19. Ele possui sensores que medem a temperatura, a frequência cardíaca, taxa respiratória e o sono. Desenvolvido em parceria com o American College of Cardiology, o dispositivo recebeu a certificação do órgão regulador dos Estados Unidos, a FDA.

  • Pia, vaso sanitário e banheira inteligentes

Torneiras, descarga e banheira com sensores que podem ser acionados por aplicativos são as inovações da norte-americana Kohler. No vaso sanitário, a descarga é acionada pelo movimento das mãos e a banheira possui iluminação, perfume de óleos essenciais, som e ondas com acionamento remoto.