Do office para o home: apps criados para melhorar a produtividade no trabalho migram para a vida pessoal

Nos últimos dois anos, com o distanciamento social e o trabalho remoto forçado devido à pandemia da Covid-19, tivemos que descobrir e aprender a usar novas ferramentas de trabalho, como os aplicativos de videoconferência, de compartilhamento e edição simultânea de textos, gerenciamento de projetos, digitalização de documentos e vários outros.

O que algumas pessoas acabaram descobrindo, também pelas novas necessidades e a rotina imposta pela pandemia, é que alguns dos aplicativos usados profissionalmente podem ajudar, e muito, na rotina doméstica e familiar.

Organizar as tarefas domésticas, as compras, as atividades, a agenda de cônjuges e filhos, e gerenciar as finanças da família, por exemplo, pode ser melhor administrado com a tecnologia. Aplicativos com atualização automática no celular, tablet ou notebook e informações compartilhadas em tempo real podem simplificar também a vida além do home office.

Um dos vários apps que migrou do office para o home foi o Trello. Desenvolvido como uma ferramenta para gerenciar projetos, listando tarefas e acompanhando as atividades de equipes de trabalho, ele passou a ser usado para criar listas de tarefas, gerenciar atividades domésticas, manter as contas em dias e até planejar o cardápio e a lista de compras.

Outro que seguiu no mesmo caminho foi o Notion, um software projetado para coordenar prazos, objetivos e atribuições de uma empresa ou equipe melhorando a eficiência e produtividade.

Tomada de decisões mais fácil para atividades domésticas

A plataforma colaborativa Miro funciona como um quadro branco. Uma solução para o trabalho remoto, como brainstormings, útil especialmente para equipes que trabalham com criação. Nele, é possível incluir notas e rabiscos virtuais, assim como documentos e imagens. Por estas características, se tornou um bom aliado para o dia a dia de famílias com crianças pequenas.

Com a recomendação de evitar sair de casa, a pandemia adicionou mais uma série de decisões à vida doméstica. Com uma interface similar à de aplicativos de relacionamento como Tinder, com o recurso swipe to like, o Cobble veio para ajudar na tomada de decisões. Criado para utilização em grupo, ele caiu no gosto de casais e famílias para decidir questões corriqueiras, como o que assistir nas horas de lazer ou o que comer nas refeições. Com a flexibilização das regras de isolamento, o app pode ser usado para escolher restaurantes, bares e shows para se divertir. Quando as pessoas gostam da mesma sugestão, o próprio aplicativo pode armazenar ingressos ou reservas.

“A tecnologia pode melhorar a forma como fazíamos as coisas antigamente, e assim como nas situações de trabalho, contribuem para facilitar o dia a dia”, afirma Arie Halpern, especialista em tecnologias disruptivas.