Everything as a service: interseção entre novas tecnologias e disrupção dos hábitos de consumo

Você já pensou em mudar de casa ou de carro toda vez que suas necessidades mudarem, mesmo que isso aconteça em questão de semanas ou meses? Pois é esse o caminho que estamos seguindo. É o chamado Everything as a Service, ou, resumidamente, XaaS, um modelo de negócio que promete revolucionar nossas vidas.

Simplificando, XaaS é um termo da computação em nuvem que se refere à oferta de produtos, tecnologias e ferramentas como serviços. É um novo modelo de negócios criado com o desenvolvimento de tecnologias que vem causando ruptura e criando novos hábitos de consumo.

Estamos entrando na era do serviço. Vivemos uma transição de um modelo regido pelo conceito de propriedade para o do uso ou acesso. O conceito de XaaS já é comum no setor de tecnologia, com o uso de cloud computing e uso de software por assinatura, e em alguns outros. Porém, ele irá se disseminar por muitos mais.

Um exemplo muito evidente é a indústria automotiva. Muitas pessoas já questionam se faz sentido possuir um carro que durante boa parte do tempo fica numa garagem ou estacionamento. Soa estranha a ideia que o uso compartilhado é mais racional e melhoraria a vida de todos, reduzindo o tráfego e a poluição? O conceito de carro como serviço, e não mais um produto, vai mudar completamente a cadeia de valor dessa indústria.

Serviços completos e customizados

As montadoras vão continuar a fabricar veículos e algumas pessoas ainda desejarão ter um, mas, ao que tudo indica, no futuro, a regra será o aluguel sob demanda. Isso vai fazer com que os fabricantes se transformem em provedores de serviços de mobilidade.

O especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern, explica que “a era dos serviços, ou XaaS, se baseia na interação e na convergência das várias tecnologias que já estão em uso, como IoT (internet das coisas), IA (inteligência artificial), smartphones, impressoras 3D e blockchain, e, provavelmente de algumas que ainda estão por vir”. Ele acrescenta que essa nova realidade demanda ainda muitos dados e algoritmos e aumentará consideravelmente a necessidade de personalização, como diferencial competitivo.

Com a multiplicação da oferta de serviços completos e customizados entregues diretamente ao consumidor, devemos experimentar a otimização do tempo e a democratização do acesso a muitas coisas que hoje são restritas a poucos privilegiados.