Gafanhotos podem ajudar a “farejar” explosivos

Gafanhoto ciborgue pode sentir cheiro de explosivos

Gafanhotos ciborgues pode sentir cheiro de explosivos

Cientistas estão pesquisando uma tecnologia que pode fazer com que gafanhotos consigam detectar explosivos utilizando seu olfato. Para isso, eles estão utilizando “tatuagens” geradas por calor que guiam os gafanhotos até áreas perigosas ou distantes por controle remoto, segundo o portal BBC.

Gafanhotos detectam cheiros através de suas antenas, então o plano dos pesquisadores é implantar eletrodos nos cérebros dos gafanhotos para ler a atividade elétrica passando por suas antenas. Para transmitir esses dados de atividade elétrica, cada inseto será equipado com uma pequena mochila que atua como um transmissor. Os sinais neurais gerados no cérebro dos gafanhotos serão processados por um chip de baixo consumo de energia ligado ao inseto que decodificam as informações e enviam um alerta wireless de volta para as autoridades. O resultado é mostrado em uma tela de LED: vermelho quando há a presença de explosivos, verde quando não há.

Baranidharan Raman, professor associado de engenharia biomédica na Universidade de Washington, estudou por vários anos o olfato de gafanhotos. O olfato é considerado o principal sentido nos insetos. “Leva apenas alguns milissegundos para o cérebro do gafanhoto rastrear um novo odor introduzido no seu ambiente, eles processam os componentes químicos de forma muito rápido”, explicou ele ao portal BBC. “Mesmo os dispositivos de detecção de químicos miniaturizados têm um punhado de sensores. Por outro lado, se olharmos para as antenas dos insetos, em que os seus sensores químicos são localizados, há várias centenas de milhares de sensores e de uma enorme variedade de tipos”.

Segundo Raman, a equipe espera alcançar a fase inicial de testes do protótipo com os gafanhotos ciborgue em um ou dois anos. Por isso, ainda vai demorar um pouco antes de descobrir se essas criaturas podem ser integradas no futuro da defesa dos países.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *