Hyperloop, o transporte do futuro

Enquanto no Brasil a população ainda reclama da falta de quantidade e qualidade do transporte público, a Hyperloop Transportation Technologies (HTT) está criando um novo conceito que promete revolucionar a maneira como as pessoas se locomovem nas grandes cidades.

O Hyperloop é um sistema de tubos através no qual uma cápsula pode viajar sem resistência do ar ou atrito, transportando pessoas ou objetos em alta velocidade. O transporte permite que os passageiros viagem a uma velocidade máxima de até 1.223 km/h, segundo a empresa. As cápsulas se movimentam por levitação eletromagnética. Com bombas, retira-se o ar de dentro do tubo, o que permite a redução da energia necessária para o deslocamento e também a maior velocidade.

Há muitos desafios no desenvolvimento do transporte, incluindo a tarefa meticulosa de construir um tubo de vácuo de centenas de quilômetros sob terra, o que depende de investimentos de bilhões de dólares. Além disso, o Hyperloop deve viajar apenas em linha reta – curvas em altíssima velocidade poderiam causar náuseas nos passageiros. A obtenção de licenças ambientais para o projeto é outra tarefa difícil, já que muitas pessoas o veem como algo exagerado e extravagante.

O conceito de Hyperloop foi elaborado por Elon Musk, criador da Tesla, em 2013, mas ele abriu mão de qualquer propriedade intelectual para que outros empreendedores pudessem desenvolver o projeto. Bipop Gresta, co-fundador e chairman da HTT, resolveu transformar a ideia em realidade e espera que o Brasil se torne adepto da iniciativa, assim como EUA, França e Coréia do Sul. ”A mobilidade é o motor que impulsiona a revolução humana”, disse Gresta à revista Exame.

A HTT inaugurou, em abril, um centro de inovação e logística na cidade de Contagem, em Minas Gerais. Serão investidos aproximadamente US$ 7,85 milhões na primeira fase do projeto, uma parceria público-privada (PPP) que tem o apoio do governo de Minas Gerais, da Federação das Indústrias do Estados de Minas Gerais (Fiemg) e da prefeitura de Contagem.

Para Arie Halpern, economista e empreendedor com foco em inovação e tecnologias disruptivas, o desenvolvimento da ideia de Musk pode trazer muitos benefícios para o transporte público no Brasil. “A população sofre há décadas com o sucateamento de ônibus e metrôs, mesmo nas capitais. O Hyperloop pode se transformar em uma iniciativa que trará mais conforto e rapidez para os deslocamentos diários do cidadão comum”. Mas, infelizmente, essa novidade logística não é para esta década – afinal o projeto ainda está em fase inicial.

Leia também: O futuro do transporte urbano será definido pela tecnologia.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *