IA do Google inventou criptografia própria

deep-learning

Sem ajuda de seres humanos, duas máquinas de inteligência artificial da multinacional Google conseguiram desenvolver por conta própria um sistema de criptografia para manter em segredo mensagens trocadas entre elas. Tudo fazia parte de um projeto do Google Brain, que estuda tecnologia de deep learning (“aprendizado profundo”, em inglês).

O portal News Scientist explica que os cientistas construíram três redes neurais, um tipo de inteligência artificial que imita a distribuição de neurônios em cérebros animais, apelidadas de Alice, Bob e Eve. Alice tinha a missão de enviar mensagens para Bob sem que Eve conseguisse entender as mensagens que estavam sendo trocadas. Após algum tempo, Alice conseguiu criptografar suas mensagens e enviá-las para Bob que, por sua vez, conseguiu desvendar o código e acessar as mensagens, deixando Eve de fora da conversa. O interessante é que os cientistas não ensinaram a nenhum deles como fazer uma criptografia: Alice desenvolveu essa capacidade sozinha.

Os cientistas participantes do projeto afirmaram que ainda não sabem como esse resultado pode ser mostrar útil para o futuro, segundo o portal Wired. “Enquanto parece improvável que as redes neurais se tornarão mestres na criptografia, elas podem ser efetivas para entender metadados e análises de tráfego de informações”, escreveram os cientistas em uma publicação oficial sobre o estudo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *