Libra, a mais nova moeda do Facebook, gera dúvidas e expectativas

O Facebook planeja lançar uma criptomoeda global na primeira metade de 2020, com o intuito de “transformar a economia global”. Denominada Libra, a moeda digital ainda está sendo desenvolvida pela empresa. A proposta é compartilhar seu controle com um grupo seleto de organizações, como companhias de capital de risco, de cartão de crédito e organizações sem fins lucrativos.

Os usuários da rede poderão trocar dinheiro pela criptomoeda – que também será enviada para outras pessoas, gasta ou até sacada a qualquer hora. Com o lançamento dessa novidade, o Facebook, que está trabalhando nesse projeto junto a 27 empresas parceiras, espera facilitar as transações de desenvolvedores e indivíduos que não possuam conta em bancos.

Além disso, O Facebook conta com uma nova subsidiária: um aplicativo de carteira chamado Calibra, cujo intuito é a construção de serviços financeiros e software além do blockchain de Libra. A carteira digital, que também tem o objetivo de integrar outros produtos do Facebook, promete contar com suporte do Messenger, WhatsApp e de um aplicativo independente a partir de 2020.

Força-tarefa francesa será responsável por monitorar a criptomoeda

Com o anúncio da Libra, diversas questões de segurança tecnológica estão emergindo globalmente – tanto no que concerne ao seu uso para fins ilícitos, quanto para lavagem de dinheiro ou evasão fiscal. Nesse sentido, a França, que detém a presidência rotativa do G7 – composto pelas sete maiores economias do mundo – promoverá uma força-tarefa sob o comando do Banco Central Europeu, com o objetivo de avaliar de que modo a regularização da moeda pode ser feita por bancos centrais.

Ainda que Paris tenha declarado não se opor à criação por parte do Facebook de um instrumento financeiro, a capital francesa assumiu de forma veemente um posicionamento contrário à transformação da criptomoeda em uma moeda soberana.

Arie Halpern, empresário com vocação para inovações e tecnologias disruptivas, ressalta a importância do avanço da tecnologia relacionada às moedas digitais e os benefícios que ela é capaz de proporcionar. “As criptomoedas prometem revolucionar a economia global, e isso trará vantagens para todos na medida em que elas podem elevar a rapidez e a facilitar o acesso a transações financeiras, além de reduzir seus custos”. Mas governos e cidadãos precisam estar atentos: “ainda existem questões não reguladas, ou não previstas, que podem se transformar em problemas se não forem identificadas a tempo”, destaca o executivo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *