Membrana de algas pode ser o fim das garrafas plásticas

Para combater um problema mundial, três estudantes americanos de design criaram o Ooho, uma alternativa sustentável às tradicionais garrafas de plástico para água. Trata-se de uma membrana biodegradável e comestível que envolve doses de qualquer líquido. Sua criação visa extinguir para sempre o uso de garrafinhas plásticas, amplamente usadas nos principais países do mundo.

Um recente levantamento da revista National Geographic estima que, da produção de plástico mundial, 6.3 bilhões de toneladas não vão para a reciclagem e 9 bilhões de toneladas de lixo plástico vão parar nos oceanos.

O Ooho é uma pequena bolha feita a partir de algas e cloreto de cálcio que formam uma espécie de gel ao redor da água. O interessante é que o custo da membrana é muito inferior ao custo de uma garrafa comum, tornando o Ooho uma alternativa mais barata para a comercialização da água: cada unidade pode ser produzida por apenas R$ 0,04

A embalagem não possui gosto, porém pode ser feita em diversas cores diferentes, caso a empresa use corantes naturais.

Cada unidade é revestida ainda com uma camada extra do mesmo material (algas e cloreto de cálcio) que deve ser descartada antes do consumo. Essa camada extra mantem a membrana interna – que será consumida – livre de germes ou sujeiras.

Para Arie Halpern, economista e empreendedor com foco em inovação e tecnologias disruptivas, essa é uma prova de como a inovação tecnológica pode resolver os principais problemas do mundo. “Hoje, dez países proibiram o uso de plástico no comércio, entre eles a Índia, a Noruega, a França e o Uruguai. Com essas proibições, são necessárias alternativas baratas que possam substituir esse material do qual somos tão dependentes, e a Ooho é uma ótima alternativa”, conclui Arie.

Veja também: Soluções tecnológicas ajudam a combater a escassez de água. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *