Microsoft investe em Inteligência Artificial de ajuda humanitária

A Microsoft apresentou, nesta semana, a iniciativa AI for Humanitarian Action, um plano de cinco anos e US $ 40 milhões para apoiar desenvolvedores interessados ​​em criar ferramentas e serviços com o objetivo de ajudar a humanidade. O projeto é apoiado pela Assembléia Geral das Nações Unidas.

A iniciativa se concentrará em quatro áreas específicas: refugiados e pessoas deslocadas, necessidades das crianças, resposta a desastres e direitos humanos.

Para a Microsoft, a contribuição da Inteligência Artificial pode se dar por meio de análise de imagens de locais atingidos por desastres naturais em busca de soluções para evitar saques, tráfico humano, violações de direitos humanos, entre outros desdobramentos típicos de locais atingidos por grandes calamidades. O mesmo tipo de análise pode ser feito em prol de refugiados em zonas de conflito ou para auxiliar pessoas em situação de miséria em países subdesenvolvidos.

O foco do programa será o apoio a organizações não governamentais selecionadas pela própria Microsoft. “As ONGs terão que garantir que seus projetos atendam às mais amplas necessidades da sociedade por meio de um processo seletivo que iremos realizar”, explicou Brad Smith, presidente da Microsoft. Ainda segundo ele, a experiência de campo das ONGs é extremamente importante para o andamento do projeto e, com a ajuda da AI, os resultados das ações dessas organizações será ampliado.

Vídeo Oficial do Projeto:

O anúncio foi feito oficialmente nesta segunda-feira (24) no evento Microsoft Ignite, uma conferência para profissionais de TI que está sendo realizada em Orlando, Flórida, nesta semana.  Para Arie Halpern, trata-se de uma iniciativa promissora. “Já foi constatado, em diversas áreas, o benefício que a AI pode trazer com análises de dados que muitas vezes passam despercebidos para olhos humanos. Combinar AI com o trabalho de ONGs com certeza trará ótimos resultados, e quem sai ganhando são os mais necessitados”, conclui Arie.

Veja Também: Inteligência Artificial pode revolucionar o atendimento na saúde


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *