Nova política de uso de dados do WhatsApp causa insegurança

A nova regra de privacidade de dados do aplicativo de mensagens instantâneas do WhatsApp está gerando preocupação em todo o mundo. A privacidade de dados está no centro dos debates nos últimos anos, envolvendo, não apenas, mas principalmente, as mídias sociais.

O WhatsApp anunciou há alguns dias uma mudança em sua política de compartilhamento de dados e está dando prazo a todos os seus usuários para aceitá-las até 8 de fevereiro. Quem não aceitar, terá de eliminar sua conta e desinstalar o aplicativo.

De acordo com a nova atualização, o WhatsApp passará a compartilhar os dados do usuário com outras empresas do grupo, ou seja, Facebook, Instagram e Messenger. A mudança contraria o anúncio feito pelo Facebook quando adquiriu o app de mensagens, há sete anos, por uma quantia em torno de US$ 20 bilhões. Ao selar a compra, Mark Zuckerberg afirmou que os serviços continuariam operando de forma independente e autônoma.

As informações incluem o número de telefone, o número do IP (que indica a localização da conexão), grupos de que participa, foto do perfil, modelo do telefone, sistema operacional, nível da bateria, intensidade do sinal, navegador, rede móvel, idioma, fuso horário e até o IMEI (International Mobile Equipment Idendity). Quem faz pagamentos ou transações financeiras pelo aplicativo também terá esses dados compartilhados.

A empresa afirma que o conteúdo das mensagens, no entanto, segue sendo encriptado e que as mudanças feitas são para fins analíticos.

Novas regras dão mais poder ao Facebook

Embora a atualização esteja sendo implantada globalmete, os usuários dos 27 países que compõem a União Europeia não terão seus dados compartilhados. Isso porque esses países adotaram uma legislação de privacidade mais rígida, o GDPR (Global Data Protection Regulation).

Mesmo quem não aceitar as novas regras e optar por encerrar a conta e desinstalar o aplicativo não evitará que os dados já armazenados sejam compartilhados. As informações não são excluídas imediatamente e algumas delas ficam armazenadas por mais tempo. Além disto, as informações relacionadas aos grupos criados pelo usuário, como as mensagens enviadas aos demais contatos, permanecem ativas e passíveis de compartilhamento.

“A mudança nas regras de privacidade do WhatsApp ainda deve gerar muito debate. De concreto, a mudança significa que o Facebook terá acesso a muito mais dados que possibilitarão ampliar o alcance de seus produtos”, comenta o especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern.

A empresa diz que as novas políticas vão melhorar a infraestrutura e os serviços possibilitando mais proteção dos sistemas e combate ao envio de spam, ameaças ou violação, melhorando a experiência dos usuários. E ainda personalizar ainda mais os recursos e o conteúdo.