Novas funcionalidades para atender desejos e necessidades dos usuários de aplicativos

Lançada há poucos meses, a possibilidade de acelerar a velocidade de mensagens de áudio no WhatsApp foi saudada por muitos usuários, agilizando a comunicação. Em breve, os usuários do aplicativo poderão enviar mensagens, fotos e vídeos que são apagadas automaticamente após a visualização, assim como usar a versão web sem precisar de um celular ativo.

Para aprimorar cada vez mais suas funcionalidades e atender às necessidades dos usuários, as empresas estão permanentemente atentas às expectativas deles. Seus desenvolvedores trabalham continuamente em atualizações que promovam melhorias nas funções existentes e inclusão de novos recursos. Como afirmou Steve Jobs, “o design não se restringe à aparência. Design é como ele funciona”.

Seguindo essa máxima, o WhatsApp está testando alguns novos recursos que devem ser incluídos já nas próximas atualizações do aplicativo.

Uso da versão web sem depender do celular

O WhatsApp anunciou que as suas versões web desktop não vão mais depender de um celular com o app ativo para funcionar. Ou seja, será possível acessar o aplicativo no notebook mesmo se o celular não estiver próximo ou se a bateria acabar.

Acesso em até quatro celulares ao mesmo tempo – Outro recurso desenvolvido e já em fase de testes é o suporte a múltiplos celulares ao mesmo tempo. Com ele, será possível usar o aplicativo em até quatro aparelhos simultaneamente.

Mensagens autodestrutivas e imagens com alta qualidade – O envio de mídias autodestrutivas, fotos e vídeos que só podem ser visualizados uma vez, que fez sucesso há alguns anos no Snapchat, é outra novidade, assim como a opção de selecionar o nível de resolução das imagens enviadas. Até hoje, as fotos e vídeos enviados por WhatsApp têm qualidade menor do que no original. Em breve, o usuário poderá escolher o nível de resolução do arquivo enviado.

Repost personalizado para evitar repetição

O Instagram está testando uma nova funcionalidade para evitar o simples repost ou compartilhamento de posts no stories. A novidade é uma etiqueta batizada Reshare. Ao selecionar essa nova etiqueta, o app abre uma galeria com os conteúdos visualizados na última hora para que o usuário selecione os que deseja compartilhar no stories. Podem ser vídeos do IGTV, Reels, vídeos e imagens publicadas por outros usuários.

A intenção, segundo o Instagram, é evitar que o conteúdo se torne repetitivo fazendo com que as pessoas sejam mais seletivas e diminuindo o mero compartilhamento. O conteúdo compartilhado usando o novo adesivo aparecerá com um fundo diferente, em vez do fundo liso do original, para incentivar a personalização.

Em direção contrária

Os testes das novas funcionalidades são feitos com uma quantidade selecionada de usuários e fornecem às empresas feedbacks sobre seu funcionamento e o nível de interesse que despertam. Assim, nem todas as funcionalidades são efetivamente adotadas. “Mesmo aprovadas nos testes, algumas funcionalidades não obtêm bons resultados entre os usuários. Foi assim, por exemplo, quando o Instagram eliminou a visualização dos likes nos posts, causando descontentamento entre seus usuários”, explica o especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern.

Agora, quem está recuando é o Twitter. Na direção contrária à do WhatsApp, o Twitter anunciou que vai desativar a função que permite o envio de tuítes que desaparecem depois de um período. A função, chamada de Fleets, foi lançada há apenas 8 meses. Mas o recurso não se mostrou popular entre os usuários.