Novas tecnologias permitem melhor aproveitamento de energias renováveis

A geração de energia renovável não para de crescer em todo o mundo. A capacidade de geração renovável aumentou em 167 GW, atingindo 2.179 GW, no final de 2017, o que representa um crescimento de 8,3%, em linha com o avanço registrado nos últimos sete anos, segundo a Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA).

Engana-se, porém, quem acha que a energia limpa depende apenas da força da natureza. Para extrair energia da luz do sol, do vento ou da água do mar, é preciso usar tecnologias de ponta capazes de transformar o potencial energético em eletricidade. Conheça algumas das novas tecnologias que estão revolucionando o mercado.

 

Energia Solar

A Tesla lançou, em outubro de 2016, quatro tipos diferentes de telhas com sensores fotovoltaicos. Os painéis são feitos de materiais mais duráveis e resistentes do que uma telha comum e estão disponíveis em quatro opções de material: vidro da Toscana, vidro de ardósia, vidro texturizado e ladrilhos de vidro liso.

O objetivo do invento é tornar qualquer cidadão um possível produtor de energia solar em sua própria casa, podendo mesclar telhas comuns com as da Tesla. Essas telhas podem enviar energia diretamente para a PowerWall, bateria doméstica criada pela mesma empresa para auxiliar moradores de regiões com recorrentes quedas de energia. Segundo a empresa, o retorno do investimento ocorre após 20 anos usando o produto.

Energia Eólica

O Brasil ocupa a 8ª posição no ranking de produção eólica, com 458 parques. A emblemática torre eólica com pás, que lembra um cata-vento, equipamento usado para extrair esse tipo de energia, pode virar coisa do passado.

A espanhola Vortex Bladeless produziu uma turbina eólica que capta a energia do vento sem a necessidade de pás. Isso permite que as novas torres ocupem bem menos espaço do que o modelo convencional.

O princípio desse equipamento é aproveitar a força do vórtice produzido pelo vento quando o mesmo passa em torno de algum obstáculo.  Para isso, foi desenvolvida uma turbina especial em forma de cone – de fibra de carbono e fibra de vidro – para captar essa energia do vento. O design da turbina garante que o vórtice do vento gire em torno de todo o cone para melhor aproveitar seu potencial energético. Um anel de ímãs na base da turbina dá impulso às rotações mesmo que o vento esteja bem fraco.

Energia das Plantas

Pesquisadores da empresa holandesa Plant-e descobriram que bactérias presentes nas plantas liberam certa quantidade de energia durante o processo de fotossíntese.  Com a descoberta, a empresa desenvolveu uma série de pequenos receptores que, fixados ao lado das plantas, são capazes de captar a energia produzida e convertê-la em energia elétrica.

O processo já está sendo testado no telhado do Instituto de Ecologia dos Países Baixos. Um pequeno jardim de 15 metros quadrados dotado de sensores gera energia suficiente para carregar mais de um aparelho celular ao longo do dia. O melhor de tudo é que o processo não interfere de maneira alguma no ciclo da planta.

 

Energia do Mar

A israelense Eco Wave Power de Tel Aviv desenvolveu uma tecnologia capaz de captar energia resultante do movimento das ondas do mar. Foram desenvolvidas plataformas flutuantes que captam o movimento da água e o transformam em energia com o auxílio de um gerador em terra. Cada uma das plataformas Eco Wave Power tem capacidade de fornecer energia para cinco casas.

Saiba mais em: Usina de energia utiliza ondas do mar para gerar eletricidade

Os avanços tecnológicos com o intuito de aprimorar equipamentos de captação de energia abrem uma nova frente de possibilidade de designs e modelos de geradores e receptores. A necessidade de reinventar e aprimorar máquinas que já funcionam resulta em produtos mais eficientes e inteligentes, não apenas no setor de produção de energia.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *