O caminho para o 4G

4G

Na busca por maior agilidade na comunicação, operadoras de telefonia celular de diversos países estão trabalhando para criar o suporte e a infraestrutura necessários para abrigar e expandir a conexão 4G. O Brasil também está seguindo esse mesmo caminho. Pretende levar a rede de internet de alta velocidade para todo o território nacional, mas esbarra em alguns desafios, como espaço territorial, queda na velocidade de navegação e restrições na cobertura.

Segundo a OpenSignal, empresa especializada em monitoramento de cobertura móvel, o Brasil ocupa a 51ª posição no ranking de 68 países com cobertura da rede 4G. Com tecnologias WIMAX e LTE – que oferecem acesso potente à longa distância e garantem alta capacidade de navegação –, o sinal da quarta geração supera em muito o seu antecessor 3G. A área de cobertura da rede no País atinge 53% do território nacional. 

A operadora TIM, líder na cobertura 4G no Brasil (segundo dados apresentados pela própria operadora), já atingiu a marca de 265 cidades com a cobertura dessa rede. No total, a conexão vinda das principais operadoras já chegou a 469 municípios.

Apesar dos esforços, no entanto, os dados indicam que 47% do País ainda não dispõe da tecnologia. Além disso, segundo o relatório da OpenSignal, o Brasil não apresenta grandes resultados em relação à velocidade, além de oferecer uma cobertura limitada: mesmo em localidades onde o 4G já está presente, 50% do tempo o usuário ainda está navegando na conexão mais lenta (3G) devido aos limites da cobertura.

A cada avanço territorial da conexão 4G, o País precisa criar a infraestrutura adequada para a estabilidade da rede. Com o aumento crescente de usuários acessando a rede por meio dessa conexão, a tendência é de que a velocidade seja significativamente reduzida. Mas o importante é que a consciência sobre a importância dessa melhoria está sendo criada e quando o País atingir esse patamar de estabilidade, uma coisa é certa: mais conexões 4G indicarão novos comportamentos nas redes. Quanto maior for a velocidade da conexão, maior poderá ser o tráfego nas redes, aumentando o tempo que os usuários permanecerão conectados. Ações atreladas que podem transformar não só a conexão, mas a maneira com que a internet é acessada e utilizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *