O poder do fact-checking nas eleições de 2018

Inspirada em um assistente virtual criado pelo jornal francês Le Monde, a Agência Lupa – primeira agência de fact-checking de notícias do Brasil – em parceria com o AppCívico, desenvolveu um sistema de checagem de fatos especialmente para as eleições de 2018.

Apelidado de projeto Lupe! 2018, o programa contou com o apoio do próprio Facebook, que recentemente fechou ainda mais o cerco contra a disseminação de Fake News, como anunciado por Mark Zuckerberg em julho deste ano.

Por meio do Messenger do Facebook da própria agência Lupa, o usuário poderá checar notícias completas ou buscar apenas palavras-chave junto à ferramenta Lupe!, em mensagens totalmente privadas. Em seguida um robô apresentará um resumo sobre o “escaneamento” feito, considerando o tema verdadeiro ou falso, além de disponibilizar links por meio dos quais o eleitor poderá encontrar informações confiáveis sobre aquele assunto.

A agência já realizou checagens em tempo real das declarações dos postulantes à presidência no primeiro debate realizado neste mês. Os próprios candidatos foram avisados previamente de que haveria uma apuração de todas as respostas dadas durante o programa. A Lupa conseguiu identificar 14 declarações consideradas falsas (7), contraditórias (2) ou exageradas (5), e publicou explicações para a classificação feita para cada afirmação. Outras 24 colocações dos presidenciáveis foram consideradas verdadeiras e igualmente comentadas na plataforma.

Além da Lupa, existem outros sete sites em português dedicados a contestação de notícias duvidosas divulgadas na Internet. Uma reportagem do Brasil Acadêmico apresenta a lista completa de todos esses portais ativos.

Em maio deste ano, a Abraji, Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, denunciou ataques sofridos por jornalistas de algumas agências de checagem. Os funcionários sofreram ameaças, denúncias e ofensas de diversas páginas e pessoas públicas ​nas redes sociais.

Para Arie Halpern, economista e empreendedor com foco em inovação e tecnologias disruptivas, o fact-checking é essencial , principalmente quando presente dentro das próprias redes sociais, sem a necessidade de links externos. “A amplitude das redes sociais tornou possível disseminar notícias falsas, ou mesmo equivocadas, de maneira muito rápida. Sendo assim, é importante ter uma ferramenta dentro do próprio Facebook para checar a veracidade dos conteúdos que recebemos ou que cruzamos em nossa timeline”, aponta Arie.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *