O próximo passo na evolução do Wi-Fi

Não é apenas a internet via sistemas de telefonia celular que está passando por uma revolução de velocidade e qualidade de transmissão de dados, migrando do padrão 4G para 5G. Os sistemas de conexão sem fio às redes de internet banda larga também seguem o caminho da evolução tecnológica aceleradamente. O padrão Wi-Fi 7 já está em preparação, mesmo antes da maior parte das pessoas nem sequer ter um roteador em Wi-Fi 6E.

O Wi-Fi 7 promete conexões mais rápidas e a capacidade de gerenciar mais conexões simultâneas. A nova tecnologia deve levar pouco mais de um ano para chegar ao mercado oferecendo velocidades até quatro vezes maiores, com mais estabilidade. “A conexão tecnológica está se tornando cada vez mais rápida para suportar as tecnologias imersivas que estão por vir”, conta Arie Halpern, especialista em tecnologias disruptivas.

A exemplo do que ocorre com a implementação do 5G, para entrar no novo mundo do Wi-Fi 7 será necessário adquirir novos aparelhos, desde roteadores até smartphones, laptops, TVs e assim por diante. Os aparelhos atuais poderão se conectar e conseguir acesso à internet, porém, não terão capacidade de aproveitar os benefícios do novo padrão.

Todo mundo junto

Um avanço prometido pelo padrão Wi-Fi 7 é a Operação Multi-Link (MLO), capaz de conectar um dispositivo combinando várias frequências entre bandas diferentes. Atualmente, pelo Wi-Fi 6, os roteadores estabelecem a conexão com smartphones, laptops e demais aparelhos por uma única banda.

O Wi-Fi 7 vai combinar várias frequências, entre diferentes bandas, em uma única conexão. Ou seja, o seu dispositivo será conectado, simultaneamente, em dois ou mais canais em diferentes bandas operadas pelo roteador; será possível receber e transmitir mais dados, como que dividindo o tráfego em vias diferentes ao mesmo tempo.

Além do ganho em velocidade, o sistema MLO vai permitir desempenho mais eficiente, pois será capaz de considerar fatores como o congestionamento de uma banda e outras interferências e fazer a transmissão no melhor canal para contornar as dificuldades, alternando as vias para manter uma conexão estável.

Assim, a Operação Multi-link lida melhor com congestionamento e interferências de sinal, trazendo benefícios perceptíveis para áreas com muitos dispositivos ou redes vizinhas que se sobrepõem, características constantes em empresa e locais maiores.

A nova tecnologia

O novo padrão aguarda confirmação oficial da Wi-Fi Alliance, organização não governamental que certifica os padrões desse tipo de tecnologia. Todavia, pelo menos três fabricantes de semicondutores e chipsets anunciaram avanços para iniciar a produção dos componentes para os roteadores Wi-Fi 7: Qualcomm, Broadcom e MediaTek.

Pelas informações apresentadas até o momento, outro avanço do Wi-Fi 7 será a ampliação da largura dos canais de transmissão de dados, dentro de cada uma das bandas. O Wi-Fi 7 suporta canais com largura de até 320 MHz, alcançando o dobro do canal mais largo oferecido pelo Wi-Fi 6E. Quanto maior a largura do canal, mais dados pode transmitir.

Uma analogia simples para entender o processo é imaginar quanto tráfego uma estrada de pista única pode suportar em comparação com uma rodovia de três faixas ou uma de seis faixas.

Esses ganhos de desempenho serão importantes para gamers, que alcançarão vídeos de alta qualidade e melhor desempenho para jogos na nuvem, além de atender com maior facilidade aplicativos de Realidade Aumentada (AR) e Realidade Virtual (VR) que exigem alta taxa de transferência. Do mesmo modo, haverá melhorias sentidas por modelos de negócios estruturados em torno do uso da nuvem.