Oito dicas para a empresa ser ainda mais conectada

Os avanços em tecnologias disruptivas, incluindo inteligência artificial e aprendizado de máquina, estão mudando drasticamente a forma como fazemos negócios, assim como as demandas dos consumidores. “As empresas precisam estar cada vez mais conectadas, com plena integração entre suas diversas áreas para oferecer a melhor experiência ao cliente e serem bem-sucedidas no século 21”, diz o especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern. No entanto, para muitas delas, a infraestrutura digital fragmentada e a falta de alinhamento entre as áreas de atendimento ao cliente, cadeia de suprimentos, operações, RH e TI comprometem sua capacidade de crescimento, afetando a competitividade e a sustentabilidade do negócio.

Uma pesquisa da Forrester Research, encomendada pela consultoria KPMG, revelou que as empresas mais bem-sucedidas investem em oitos principais aspectos para serem ainda mais conectadas. De acordo com o levantamento, 67% das empresas no mundo aceleraram suas ações para a transformação digital após o início da pandemia da covid-19. Elas buscam ir além da interação entre canais para que seus clientes tenham uma experiência sem frustrações em sua jornada de consumo.

Conheça as oito prioridades das empresas conectadas.

  1. Preço, produto e ofertas customizadas: oferecer produtos e serviços, preços e ofertas consistentes e adequados a cada segmento de clientes.
  1. Cliente no centro: capacidade de proporcionar ao cliente uma experiência que atenda suas expectativas em todos os pontos de contato, físicos ou digitais, para estimular o engajamento, a satisfação e a fidelidade. Isso se aplica a potenciais clientes, clientes, funcionários e parceiros.
  1. Cadeia de suprimentos e operações responsivas: oferecer ao cliente a opção de escolher, receber e devolver produtos ou serviços quando, onde e como quiser usando sistemas avançados e baseados na análise de dados para planejar a demanda e gerenciar estoques e distribuição.
  1. Parcerias, alianças e gestão de fornecedores: capacidade de selecionar terceiros que possibilitem reduzir custos, diminuir o tempo de desenvolvimento de produtos ou solucionar lacunas para satisfazer as demandas dos clientes.
  1. Análise de dados avançada: uso de dados e análises para oferecer produtos e serviços de forma coordenada em todos os canais e, ao mesmo tempo, preservar a privacidade das informações e a segurança do cliente.
  1. Arquitetura tecnológica: capacidade de alavancar expertise e sistemas de tecnologia para oferecer experiências em todos os canais, fornecendo as ferramentas necessárias aos funcionários e atuando de forma integrada com parceiros e com todo o ecossistema digital.
  1. Transações eficientes: oferecer transações convenientes e seguras que atendam às necessidades e preferências do cliente, garantindo sistemas de pagamento integrados e consistentes em todos os canais.
  1. Pessoas capacitadas e alinhamento organizacional: habilidade para equilibrar as demandas do cliente com a gestão de processos e competências, incluindo alinhamento da cultura, estruturas organizacionais ágeis e gestão de desempenho.