Peça de Shakespeare ganha viés tecnológico

Peça de Shakespeare ganha personagens virtuais (Imagem de divulgação)

Peça de Shakespeare ganha personagens virtuais (Imagem de divulgação)

A companhia britânica de teatro Royal Shakespeare Company (RSC) decidiu juntar a magia do teatro com os avanços da tecnologia. Em parceria com a Intel e a Imaginaruim Studios, que trabalha com efeitos de captura de movimento para filmes de Hollywood, a companhia lançou uma versão da peça “A Tempestade”, escrita por Shakespeare, em 1611, com efeitos especiais e personagens virtuais. Segundo o site da BBC, o ator Mark Quartley ficou responsável por fazer o papel de Ariel, um espírito feérico que possui uma encarnação física e outra virtual.

Toda a animação é feita em tempo real, por meio de uma roupa especial com sensores de movimento utilizado por Quartley durante a apresentação. As imagens captadas são processadas pelos computadores e transmitidas para o palco, criando a versão virtual da personagem.

“Porque Ariel não é do mundo real, podemos abusar da criatividade”, disse Sarah Ellis, chefe do departamento de Desenvolvimento Digital da RSC no site da Intel. “Podemos fazer coisas que não seríamos capazes em termos do que queremos que os personagens vivam no palco. Podemos fazer Ariel muito pequeno ou fazê-lo do tamanho do palco com a tecnologia que temos.”

Greg Doran, diretor de criação da companhia, acredita que Shakespeare ficaria contente com as inovações. Segundo ele, o escritor costumava utilizar as tecnologias mais recentes de sua época e incorporá-las em suas peças.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *