Pesquisadores chineses criam tecido inteligente com microlâmpadas de LED

Tecidos que emitem luz brilhante por meio de centenas de pequenas lâmpadas LED podem ser um incrível acessório fashion para os mais ousados frequentadores da noite, mas sua utilização prática vai muito além da moda. Eles têm múltiplos usos funcionais, como, por exemplo, na detecção de evaporação de água ou de mudanças de temperatura. Os tecidos devem ser flexíveis, duráveis e leves, e o problema técnico mais importante para obter esse efeito é ajustar os sistemas de armazenamento de energia que alimentam as lâmpadas. Eletrodos deformáveis costumam apresentar falhas em operações de longo prazo, e sua capacidade fica aquém dos dispositivos tradicionais.

Pesquisadores chineses, no entanto, parecem ter encontrado a resposta para esse desafios, conforme relatado na revista científica especializada  “Angewandte Chemie”. A chave para a fabricação do material foi o desenvolvimento de uma tecnologia de microfluídos que transmite energia para as lâmpadas, numa abordagem totalmente diferente das tentadas anteriormente. Os cientistas da Universidade de Nanjing Tech desenvolveram um material híbrido poroso sintetizado a partir de dois nanomateriais de carbono e uma estrutura metal-orgânica.

Os nanocarbonos propiciaram uma grande área de superfície e excelente condutividade elétrica, e a estrutura metal-orgânica mostrou-se funcional por sua estrutura porosa e capacidade eletroquímica. Para tornar mais flexíveis os materiais dos eletrodos para aplicações vestíveis, as estruturas de carbono microporosas foram transformadas em fibras com uma resina termoplástica usando uma inovadora máquina de sopro. “Esse é mais um exemplo das infinitas novidades que os pesquisadores estão trazendo com a aplicação de carbono em nanotecnologia, e que vai modificar o mundo nas próximas décadas”, diz o especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern, que completa: “Não é minha área, mas se alguém também quiser fazer uso como acessório de moda, por que não? O futuro vai dizer.”

Sol e cores

Os cientistas também testaram tecidos com duas aplicações que podem se mostrar interessantes. A primeira delas foi a troca inteligente de cores de LEDs, que, assim, indicam uma série de condições, como de temperatura e umidade, por exemplo. A segunda, a integração dos sistemas de energia em  tecidos com células solares, que geraram roupas funcionais que podem ser recarregadas sem o uso de fontes externas.