Pesquisadores da USP usam IA para auxiliar pessoas com deficiência motora

IA pode auxiliar pessoas com deficiência motora a escrever no computador (Imagem de divulgação)

IA pode auxiliar pessoas com deficiência motora a escrever no computador (Imagem de divulgação)

Pesquisadores da USP do campus de São Carlos desenvolveram um método de digitação que utiliza inteligência artificial para auxiliar pessoas com deficiência motora, como portadores de esclerose lateral amiotrófica (ELA). As informações são do portal Gizmodo.

A intenção dos pesquisadores é baratear sistemas de digitação em computadores que utilizam a movimentação dos olhos dos usuários. Raíza Hanada, pesquisadora do projeto, explica que o método envolve tentar descobrir qual palavra o usuário tentou digitar ao olhar para um teclado virtual. Uma das dificuldades desse tipo de tecnologia é que os olhos fazem tanto a seleção das letras quanto a busca de quais letras irá usar, por isso é comum que o sistema acabe utilizando todas as letras visualizadas.

A inteligência artificial ajuda nesse aspecto, diminuindo o que Hanada chama de “ruídos”, ou seja, as letras que ficam no caminho do olhar do usuário enquanto ele está “escrevendo”. A tecnologia que está sendo desenvolvida deve ser capaz de chegar à palavra final, independentemente da quantidade de ruído gerada pelo usuário e possibilidades de imprecisão do dispositivo eye-tracker, que lê o movimento dos olhos. É possível ler mais sobre a pesquisa aqui.

O novo modelo criado pelos pesquisadores da USP também pretende deixar o equipamento mais acessível para as pessoas com deficiências motoras, com todas as partes necessárias para fazê-lo funcionar custando US$ 199. No entanto, o sistema atualmente só funciona na língua inglesa, o que deve dificultar sua adoção no Brasil.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *