Plataforma é uma experiência de valor

Plataformas

Quanto mais pessoas, maior a visibilidade. Quanto mais visibilidade, maior a valorização. Essa é a premissa que acompanha a criação de novas plataformas de negócios, que funcionam através de sistemas baseados no efeito de rede. Ou seja, o valor de um produto ou serviço depende do número de utilizações de outras pessoas. É possível citar grandes exemplos popularmente conhecidos, como o Facebook e o Tinder, que, se usados por um número reduzido de pessoas, dificilmente ganhariam as proporções atuais. Mas, para além do crescimento, é interessante notar que cada vez mais empreendedores têm adotado o sistema, buscando agregar valor a produtos e serviços capazes de promover grandes disrupturas em determinados mercados.

Vejamos o caso da plataforma social online Ingresse, que, segundo a própria startup, entrou no mercado em 2011 para facilitar a compra e venda de ingressos para qualquer tipo de evento. A plataforma funciona a partir de uma logística simples: ao entrar no site, o organizador pode fazer um cadastro e criar o evento desejado. Além de contar com ferramentas de foto e descrição da atração, a plataforma também interage com as redes sociais, possibilitando que compradores visualizem quais os amigos que irão ao mesmo evento. Essa “venda de experiência” está promovendo uma disruptura no mercado de shows e vendas com resultados favoráveis. A nova plataforma  movimentou, em 2014,  R$ 45 milhões em ingressos no Brasil.

A partir dessa descoberta de ideias não exploradas, que nascem as novas plataformas em nichos variados. Esse é o caso da Clickbus, uma plataforma e um aplicativo para vendas online de passagens de ônibus, que oferece mais agilidade aos passageiros na hora de escolher o bilhete e fazer o pagamento. Criada em agosto de 2013, a Clickbus ocupa a liderança no mercado de vendas de passagens de ônibus online, utilizando uma nova interação com usuários.

Como a funcionalidade de plataformas depende exclusivamente do volume da participação dos usuários, é importante impulsionar um comportamento adequado por parte de quem as utiliza. Isse se aplica principalmente às plataformas de negócios colaborativas. Para que a atividade seja bem sucedida, esse tipo de plataforma incorpora medidas que evitam ações mal intencionadas por parte dos usuários. Desta forma, o foco na experiência e na  disruptura da prestação de serviço não se perde, garantindo uma parceria de sucesso entre lucro e colaboratividade.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *