Quais as profissões do futuro, segundo Arie Halpern

Arie Halpern aponta quais serão as profissões do futuro

Arie Halpern aponta quais serão as profissões do futuro

As disrupturas provocadas pelas novas tecnologias em nosso modo de vida impactam da mesma forma – e não poderia ser diferente – o mercado de trabalho. Vivemos o mundo da internet, da mobilidade, da robótica, da nanotecnologia, da imagem digital e, também, da preocupação com o meio ambiente, com o impacto da nossa atividade na natureza, com o uso responsável dos recursos. “É um cenário que altera o perfil de muitas atividades ou cria funções completamente novas”, afirma Arie Halpern, economista e empreendedor com foco em inovação. “Quem está no mercado ou vai ingressar nele deve estar atendo a essas tendências e pensar sobre como será a sua profissão no futuro.”

O economista cita a pesquisa “Carreiras do Futuro”, realizada pelo Programa de Estudos do Futuro, da Fundação Instituto de Administração – FIA. Segundo o estudo, sustentabilidade, inovação, preocupação com a qualidade de vida e aumento da expectativa de vida da população são os pontos que mais devem estimular essas mudanças.

Halpern destaca, como exemplo, o impacto da inovação tecnológica nas profissões da área de saúde. “Os robôs têm mostrado há algum tempo o potencial que possuem para melhorar a vida humana, principalmente na medicina”, diz ele. “Daqui dez, vinte anos, um médico cirurgião que não souber robótica não conseguirá exercer sua profissão”. Dentro desse cenário, em breve teremos a presença de “nano-médicos”, uma das profissões do futuro apontadas pela consultoria Fast Future Research em sua pesquisa “Shape of Jobs to Come”. Segundo o estudo, avanços na nanotecnologia estão criando dispositivos sub-atômicos e tratamentos diversos que podem transformar os cuidados com a saúde, tornando necessário um novo tipo de especialista para administrar esses tratamentos.

“À medida em que a expectativa de vida aumenta, mais e mais os profissionais da saúde serão especializados em tratar os problemas gerados pelo envelhecimento”, diz Halpern. É o que sinaliza o estudo da Fast Future Research ao colocar o “gerente de bem estar da velhice” entre as profissões de destaque no futuro. Na área farmacêutica, outro exemplo, biologia e tecnologia da informação deverão criar uma profissão como bioinformacionista, que junta farmacologia e genética.Universidades brasileiras já estão apostando na profissão, oferecendo cursos de pós-graduação neste tema, como a Universidade Federal de Minas Gerais.

Halpern lembra que o “futurólogo” Thomas Frey, autor de “Communicating With the Future”, aponta em seu livro diversas novas profissões ligadas à tecnologia, entre elas o de engenheiro “front-end” e gestor de operações e logística. A primeira é uma profissão que cuida do desenvolvimento das redes de internet, que viabilizam as páginas que acessamos diariamente. Segundo Frey, a área deve dobrar de espaço nos próximos anos. Já o gestor de operações e logísticas ficará responsável por gerenciar e controlar estoques e envio de mercadorias para o mundo todo. “A demanda de serviços de entrega, como os da Amazon e da Alibaba, tendem a crescer, e isso vai exigir profissionais especializados nessa logística”, comenta Halpern.

Profissões completamente novas também devem surgir. Como curiosidade, Halpern cita a de «conselheiro de robôs», sugerida pelo portal Careers2030. Como no futuro os robôs desempenharão um papel importante no dia a dia das pessoas e assumir diversas funções dentro de casa, serão necessários especialistas capazes de analisar o perfil da família, indicar os modelos mais adequados e cuidar da atualização dessas máquinas.

Imaginar como será o mercado de trabalho do futuro e preparar-se para ele é também um exercício de criatividade e inovação, diz Halpern. “Na era de disrupturas em que vivemos, o profissional é também um empreendedor e, como tal, pode desenhar a profissão dos seus sonhos e torná-la real.”


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *