Seis perguntas básicas sobre o Metaverso

No universo da tecnologia, e mesmo fora dele, metaverso é a palavra do momento. Essa nova era da tecnologia, sem dúvidas, vai transformar a vida de todos nós. Porém, ainda há muitas dúvidas sobre como será essa nova realidade.

O que é este universo online do qual iremos fazer parte?

De onde veio?

Cunhado pelo escritor americano de ficção científica Neal Stephenson, o termo metaverso apareceu pela primeira vez no livro Snow Crash, de 1992. Lançado no Brasil com o nome original e também com o título traduzido como Nevasca, o romance conta a história de Hiro, um entregador de pizza que nas horas vagas é um hacker samurai em um mundo virtual.

O título original do livro, Snow Crash, é uma expressão que era usada quando um computador Macintosh travava e a CPU começava a desenhar pontos aleatórios na tela, que lembrava uma tempestade de neve.

O romance de ficção científica de Stephenson foi o ponto de partida para a criação de alguns dos jogos mais populares, como Roblox, Fortnite e Minecraft.

O que é?

O metaverso pode ser definido como um universo paralelo em que poderemos ter avatares para interagir com os outros para fazer negócios e se divertir em ambientes totalmente digitais. É uma rede com diferentes ambientes 3D, renderizados em tempo real.

Ele é o próximo estágio da internet. O primeiro foi o acesso à internet por conexão fixa e o segundo, a conexão móvel. Mesmo que grande parte dos dados enviados para dispositivos móveis seja gerenciado e dependa de uma estrutura fixa, a mobilidade causou uma ruptura, ampliando exponencialmente a interatividade. O metaverso vai nos levar para dentro da internet, em um ambiente virtual em 3D.

O que é preciso para que seja realidade?

Para que o metaverso se torne realidade, ainda que virtual, dependemos da convergência de várias tecnologias, sendo a realidade virtual e a realidade aumentada as principais. As diversas plataformas disponíveis terão que estar conectadas e serem compatíveis para que seja possível passar de uma à outra.

Para que mais pessoas possam entrar neste universo, é preciso que os equipamentos necessários se tornem não apenas mais acessíveis, mas também que evoluam, incorporando mais funcionalidades.

Como acessar?

Ainda que seja possível acessar estes ambientes com um PC, para ter uma experiência melhor é necessário utilizar equipamentos como óculos de realidade aumentada, manoplas e outros acessórios. O metaverso é acessado por meio de plataformas de realidade virtual aumentada e realidade expandida. Algumas das mais populares atualmente são Axie Infinity, Fortnite, Decentraland, Horizon, Sandbox e Roblox.

O que poderemos fazer?

Os exemplos mais simples são soluções de tecnologia, como simuladores em 3D.

Segundo especialistas, a área da saúde é uma das mais promissoras, com realização de cirurgias à distância, aprendizado sem necessidade de corpos reais e monitoramento de condições corporais. Além de reuniões de trabalho, compras, jogos e outras atividades do dia a dia.

Quantas pessoas já estão no metaverso?

De acordo com uma pesquisa do Kantar Ibope, 6% dos brasileiros já acessam alguma das plataformas do metaverso, ou seja, quase 5 milhões de pessoas. A consultoria Gartner prevê que, em 2026, 2 bilhões de pessoas estarão no metaverso.