Soluções tecnológicas transformam cidades

Tecnologias como 5G, IoT e IA estão por trás das inovações que farão as cidades mais sustentáveis e melhores para seus moradores. Atualmente, centenas de cidades no mundo usam tecnologia para monitorar o trânsito, prestar serviços e racionalizar o uso de energia. São as cidades inteligentes.

Em Barcelona, na Espanha, sensores instalados nas lixeiras enviam um sinal ao setor de limpeza urbana quando a quantidade de lixo atinge 70% da capacidade. Assim, evita-se que a coleta seja feita quando as lixeiras estão vazias ou transbordando. Instalados em postes, eles medem a umidade, temperatura e qualidade do ar.

Na Coreia do Sul, a pequena Songdo tem um sistema em que o lixo de cada casa é sugado por um sistema pneumático. Uma rede de tubos subterrâneos leva os detritos para centros de processamento onde são separados e reciclados ou transformados em energia. Songdo é uma cidade planejada e ainda em construção. O trânsito é monitorado por meio de sensores e câmeras e os semáforos podem ser reprogramados ao menor sinal de congestionamento.

Com mais de 30 megacidades (centros urbanos com população superior a 10 milhões de habitantes) no mundo, a lista de problemas é extensa. “Mobilidade, coleta e tratamento de lixo, iluminação pública e segurança foram os primeiros aspectos beneficiados com o conceito de cidade inteligente”, explica o especialista em tecnologias emergentes Arie Halpern.

Projetos de inclusão também fazem parte da inteligência

A 50 quilômetros de Tóquio, todas as casas de Fujisawa tem painéis para geração de energia solar. Além de abastecer a casa, carros e bicicletas elétricas, a energia excedente é armazenada em baterias. Construída numa área antes ocupada por um parque fabril da Panasonic, a cidade emite 70% menos CO² e consome 30% menos água do que outros municípios com mesmo tamanho e população.

No Brasil, diversas cidades também já adotaram sistemas inteligentes. Em Curitiba, por exemplo, há um sistema para auxiliar pessoas com mobilidade reduzida a atravessar a rua. Ao aproximar um cartão de um equipamento instalado nos cruzamentos, o tempo de travessia do semáforo aumenta automaticamente. Em janeiro deste ano, o BNDES selecionou 15 projetos-piloto usando Internet das Coisas (IoT) que receberão investimento do banco. Cinco deles são soluções para as áreas de segurança, iluminação pública e rastreamento de veículos.