Tecnologia 5G é uma ameaça para a segurança dos voos?

A advertência das dez maiores companhias aéreas dos Estados Unidos de que o uso da frequência 5G pode interferir nos sistemas de navegação dos aviões e comprometer a segurança dos voos acendeu um sinal de alerta no mundo. Como consequência, as empresas de aviação estão remanejando e até cancelando voos para os Estados Unidos.

Numa carta enviada à Federal Aviation Administration – FAA (órgão regulador da aviação civil americana), à  Comissão Federal de Comunicações – FCC e ao diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, as companhias aéreas pedem que o sinal 5G seja proibido num raio de 3,2 quilômetros no entorno das pistas dos aeroportos.

“A notícia surpreendeu muitos de nós e, obviamente, gerou grande preocupação, mas é importante sabermos quais são as possíveis ameaças que o 5G pode trazer nesse contexto”, pondera Arie Halpern, especialista em tecnologias disruptivas.

Por que o 5G pode ser um risco para a aviação dos EUA?

O 5G é a próxima geração de conexão de internet móvel. Ele permite navegar, carregar, baixar e transmitir dados muito mais rápido e permite que mais dispositivos acessem a internet móvel ao mesmo tempo. Para isso, conta com um maior uso de sinais de rádio.

Nos EUA, as frequências de rádio usadas para o 5G fazem parte do espectro conhecido como C-Band. Essas frequências são próximas às utilizadas pelos rádio-altímetros dos aviões, que medem a altura da aeronave em relação ao solo, além de fornecer dados para sistemas de segurança e navegação. A preocupação é que as transmissões 5G possam interferir no funcionamento desses instrumentos e comprometam a segurança, principalmente quando as aeronaves estão chegando próximo ao solo.

Qual é o risco para os aviões?

A RTCA, órgão que produz orientações técnicas sobre questões de aviação, publicou um relatório alertando para a possibilidade de falhas que podem levar a fatalidades caso não sejam adotadas  medidas de mitigação. Mais recentemente, a FAA alertou que a interferência 5G pode levar a problemas com vários sistemas diferentes de alguns aviões. Entre eles estariam a dificuldade na desaceleração do avião durante o pouso e umavulnerabilidade maior, especialmente em situações de pouca visibilidade.. Há também a possibilidade de que alguns modelos de aeronaves não possam mais ser usadas nos EUA.

Outros países que usam 5G compartilham dessas preocupações?

Não no mesmo grau. Isso porque a maneira como o 5G está sendo implementado varia deacordo com cada país. Na União Europeia, por exemplo, as redes operam em frequências mais baixas do que aquelas que os provedores dos EUA planejam usar – reduzindo o risco de interferência. Mesmo assim, alguns países adotaram medidas adicionais para reduzir possíveis riscos.

O que as autoridades dos EUA estão fazendo?

Os reguladores nos EUA já adotaram uma série de medidas. A FAA estabeleceu zonas tampão temporárias em torno de 50 aeroportos, em que os provedores de 5G limitarão suas atividades. Além disso, o órgão está identificando se os altímetros podem ser usados ​​com segurança em áreas com rede 5G ou se precisarão ser substituídos.

O que dizem as empresas que vão operar as redes 5G?

A Verizon e a AT&T concordaram em adiar temporariamente o lançamento do 5G em torno das pistas de alguns aeroportos, Além disso, algumas antenas não serão ativadas enquanto não houver uma solução definitiva.