Tecnologia ajuda tetraplégico a sentir toque

Pesquisadores da Universidade de Pittisburgh devolveram sensação a tetraplégico (Fonte: Universidade de Pittsburgh)

Pesquisadores da Universidade de Pittisburgh devolveram sensação a tetraplégico (Fonte: Universidade de Pittsburgh)

Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, tiveram sucesso em fazer com que Nathan Copeland, tetraplégico, voltasse a ter a sensação de tocar algo, com a ajuda de um braço robótico controlado por ele por meio de um chip especial implantado em seu cérebro. As informações são do jornal “O Globo”.

A reportagem publicada pelo jornal explica que Copeland, que perdeu o movimento e a sensação do corpo há dez anos em um grave acidente de trânsito, teve quatro redes de eletrodos implantadas na superfície de seu cérebro em uma cirurgia considerada de tipo de interface invasiva. Duas dessas redes são responsáveis por mover o braço robótico a partir de leituras feitas do cérebro (leituras feitas do cérebro?) de Copeland enquanto as outras duas fornecem o retorno do toque ao estimular eletricamente grupos de neurônios que foram relacionados ao tato de partes de uma de suas mãos por exames de ressonância magnética e magnetoencefalografia.

“Ficamos muito aliviados com o resultado”, disse o engenheiro biomédico Robert Gaunt ao jornal “The Washington Post”. “Nathan estava muito feliz. Essas são sensações que ele não experimentava há dez anos.”

Antes da experiência dos pesquisadores de Pittsburch, nenhum membro robótico havia permitido a uma pessoa paralisada experimentar outra vez a sensação natural de toque, algo ainda mais difícil de se fazer do que devolver os movimentos ao paciente. Atualmente, as simulações elétricas nos nervos de amputados possibilitam que se controle membros artificiais, mas não oferecem a sensação de toque. Mover braços robóticos sem a sensação de toque faz com que os movimentos sejam lentos e atrapalhados, segundo o jornal americano.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *