Tecnologias em carros e rodovias tornará viagens mais seguras

A indústria automobilística mundial coloca nas ruas e nas estradas cerca de 100 milhões de novas unidades por ano. A frota estimada em todo o mundo chega perto de 1,3 bilhão de unidades, sendo que o maior crescimento do mercado hoje está nos países em desenvolvimento. A possibilidade de contar com o transporte individual traz uma série de benefícios em qualidade de vida e no desenvolvimento econômico das populações, que têm seu acesso facilitado a serviços de saúde, educacionais, de lazer, ao abastecimento de produtos, de forma rápida e prática.

No entanto, há dois problemas graves a dimensionar com a adoção desse modelo: o ambiental (que está em parte sendo respondido pela introdução dos carros elétricos) e o de segurança. Os acidentes de carro, além de prejuízos econômicos, causam 1,35 milhão de mortes por ano em todo o mundo segundo dados da OMS. “Essa é uma questão séria a enfrentar, e o desenvolvimento de tecnologias tem mostrado soluções viáveis, com experimentos que conjugam várias pesquisas em equipamentos aplicados tanto aos próprios veículos quanto às pistas de estradas e rodovias”, diz o especialista em tecnologias disruptivas, Arie Halpern. Ainda segundo Halpern, não é preciso esperar por carros totalmente autônomos, uma promessa que ainda deve aguardar alguns anos para estar disseminada, para que a tecnologia ajude à prevenção de acidentes em larga escala. Confira algumas dessas tecnologias em desenvolvimento que estarão nas ruas nos próximos anos.

1. Carros inteligentes – Os sensores de telemática, diagnósticos on-board (OBD) e Internet das coisas (IoT) estão ajudando a coletar uma grande quantidade de informações que ajudam a entender o ambiente veicular e a analisar o comportamento do motorista. Isso contribui para prevenir acidentes e melhorar os hábitos de direção – velocidade, uso do cinto de segurança, curvas acentuadas ou aceleração excessiva. Dessa forma, administradores de segurança de trânsito podem no futuro incentivar a condução segura usando o scorecarding, que classifica os condutores com base em seus dados de condução.

2. Detecção de anomalias nas pistas – A tecnologia IoT pode ajudar os administradores a passar das medidas reativas para as proativas quanto à segurança das pistas. Dentre as inovações, estão os sensores inteligentes de pavimento que ajudam a monitorar e a reportar remotamente o estado das estradas às autoridades e aos sensores de análise de dados. Buracos e desgastes no asfalto, problemas em pontes e viadutos são percebidos e reportados automaticamente a uma central que pode providenciar soluções rápidas.

3. Tecnologia de iluminação – Tecnologias para melhorar as condições de visibilidade dos motoristas que trafegam à noite são consideradas um dos pontos cruciais pelos especialistas em segurança do trânsito para a redução de acidentes graves. Uma das ideias para reduzir os custos de iluminar as pistas é usar o brilho de sinalizações, com tintas fotoluminescentes que “carregam” energia durante o dia a e a dispendem à noite, como um caso experimental na Holanda. Uma outra ideia, ainda em estágio de projeto, é equipar as autopistas com pequenas hélices de geração de energia eólica, que seriam carregadas pelo deslocamento de ar da passagem dos próprios carros e acionariam luzes ao longo da pista. Nas estradas menos movimentadas, sensores detectariam a aproximação de carros e acenderiam, primeiro de forma suave e depois mais intensa, luzes de auxílio na medida em que eles se locomovessem.