Tecnologias ensinam crianças a planejar vida financeira

Nunca é cedo demais para aprender. Mesmo que isso envolva temas aparentemente complexos como finanças. Ferramentas tecnológicas de aprendizado estimulam crianças a desenvolver a compreensão de fundamentos básicos de economia. Um exemplo é o Goalsetter, aplicativo no qual os pequenos podem criar um fundo de investimentos para, pouco a pouco, entrar em contato com demandas financeiras que farão parte da vida adulta.

Tanya Van Court, responsável pelo desenvolvimento da ferramenta, constatou, no convívio com a filha de oito anos, que a exposição ao consumismo começa desde cedo. Então, da mesma maneira que as crianças aprendem a consumir, elas poderiam aprender a economizar. Propôs para a filha que, se a menina conseguisse economizar U$ 100, esse valor seria dobrado pela mãe e colocado em uma conta poupança.

O aplicativo, criado pouco tempo depois, segue a mesma lógica – mas apresenta duas opções para aprender brincando. A primeira delas é um fundo de investimentos com o plano de meta das crianças, que poder ser desde guardar dinheiro para comprar uma bicicleta no aniversário até poupar para a faculdade. A outra é uma maneira de alfabetização financeira, com testes divertidos, que ensinam fundamentos de finanças pessoais utilizando memes e outros elementos da cultura pop.

O diferencial do Goalsetter é o fato de ser vinculado ao cartão de débito de um adulto, que pode atribuir recompensas pelo desempenho dos pequenos nos testes ou um vale-presente – convetido em dinheiro para as metas estipuladas – em datas comemorativas. Mas existem outras ferramentas voltadas exclusivamente para a educação fincanceira de crianças. O Poupadin é um aplicativo que ensina economia através de jogos, simulando situações nas quais é necessário criar um planejamento da verba disponível para avançar as fases e vencer. Desenvolvida no Programa de Incubação de Empresas (PIEBT) da Universidade Federal do Pará (Universitec), a iniciativa tem como principal objetivo mostrar às crianças que a economia faz parte do cotidiano – e assim aprimorar seus conhecimentos.

Segundo o economista e especialista em tecnologias disruptivas Arie Halpern, é fundamental preparar as novas gerações para a vida adulta – e isso inclui o domínio sobre o sistema financeiro. “Ferramentas que unam tecnologia a uma aprendizagem lúdica, e que possam ser incorporadas ao cotidiano dos pequenos cidadãos, podem contribuir para a mudança de hábitos de consumo  já enraizados na sociedade”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *