XSTAT é usado pela primeira vez para estancar sangue de ferimento

O XSTAT é feito com esponjas especiais / Crédito: REVMEDX, INC.

O XSTAT é feito com esponjas especiais / Crédito: REVMEDX, INC.

Uma equipe de cientistas, em parceria com o exército dos Estados Unidos, desenvolveu um dispositivo inovador capaz de interromper o sangramento de machucados em situações pré-operatórias, como no caso de tiros no campo de batalha. Apesar de ter sido aprovado para uso militar em 2014, esta semana foi a primeira vez que o dispositivo foi utilizado em uma situação real, de acordo com o portal Fox News.

O paciente foi um soldado americano que levou um tiro na perna esquerda. A bala causou uma “cavidade considerável” na perna, segundo o relatório médico. A equipe cirúrgica em campo (FST) iniciou uma cirurgia, mas não obteve sucesso em estancar o sangramento da artéria e da veia femoral com as técnicas padrões, que envolvem utilizar cera para osso e cauterização no local do ferimento. Após sete horas, a equipe decidiu utilizar o XSTAT e aplicar um único dispositivo na cavidade. O sangramento estancou quase imediatamente.

Desenvolvido pela RevMedx, O XSTAT funciona bombeando pequenas esponjas expansíveis no ferimento. Essas esponjas especiais têm menos de 10 mm e são feitas de celulose e quitosana, um tipo de agente coagulante. Ao entrar em contato com o sangue, essas esponjas se expandem, podendo crescer até dez vezes seu tamanho original, e exercem pressão hemostática, interrompendo o sangramento em aproximadamente 15 segundos. A função do dispositivo é manter o paciente estável enquanto ele é transferido para um hospital em segurança. Para evitar problemas durante a cirurgia, cada esponja possui um marcador de raio-X para confirmar sua remoção após o procedimento.

Em um comunicado oficial, o CEO da RevMedx Andrew Barofsky agradeceu o trabalho dos cientistas e colaboradores militares. “Estamos contentes em ver que o XSTAT desempenhou um papel importante ao salvar a vida de um paciente e esperamos ver avanços significativos na adoção do XSTAT como padrão para tratamento de hemorragias graves em ambientes pré-hospitalares”, disse Barofsky. No ano passado, a FDA (órgão norte-americano semelhante à Anvisa) aprovou o uso do dispositivo para uso na população civil.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *